Por dentro das Leis Engenheiro de Segurança do Trabalho, Rodrigo Mello, explica as devidas adequações 

Diante de todo o transtorno da tragédia em Santa Maria, a equipe do Na Pilha! ficou em dúvida em alguns aspectos. Fomos em busca de informações e conversamos com o Engenheiro de Segurança do Trabalho, Rodrigo Mello. O rapaz irá auxiliar e responder todas as perguntas e questões que tivermos. Ainda concede um relatório completo sobre o que é, a importância e o necessário para os estabelecimentos de festas e shows possuírem um Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI), – o que é previsto por lei – processo indispensável.

Mello aponta vários fatores básicos para uma festa segura. “Extintores, sinalização de emergência e alarme são os fatores cruciais para garantir o mínimo de segurança em ambientes para festas”, ensina. Ele frisa a importância de pessoas treinadas em ocasiões como o sinistro ocorrido. Além disso, há um alerta para que as pessoas que frequentam casas de festas prestem atenção se há segurança. Conforme mencionado, apresentamos informações sobre o processo PPCI.

O engenheiro nos orienta que o Plano de Prevenção é um processo que todos os proprietários ou responsáveis por qualquer tipo de prédios com variedade de instalações deverão possuir e que poderá ser encaminhado ao Corpo de Bombeiros da Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul. Isto, voluntariamente, ou após receber a Notificação de Adequação (NA), expedida pelo Corpo de Bombeiros, obedecendo prazos legais para o cumprimento da notificação. Informamos, também, os principais pontos abordados pelo PPCI:

Saídas suficientes para retirada do pessoal em serviços e moradores, em caso de incêndio;Equipamento suficiente para combater o fogo em seu início;Pessoas adestradas no uso dos equipamentos.