Para os pedestres, a parte dos fundos da Casa Branca é a mais visível. (Foto: Ana Flávia Hantt/Divulgação)

*Ana Flávia Hantt

Em dezembro de 2016, visitei Washington DC pela primeira vez. Cheguei na cidade por volta das quatro da tarde, e encontrei a noite escura do gelado inverno americano. Como vocês sabem, turista é um ser que não sente frio, nem fome, nem sono, e por isso, saí a explorar as ruas da capital dos Estados Unidos.

Logo, estava em frente a ela, a Casa Branca. De longe, o prédio não passa de uma pequena mansão isolada em meio a infinitos gramados verdejantes, mas na prática, é provavelmente um dos lugares mais bem guardados do mundo.

Em clima de fim de ano, me juntei ao público que se reunia em frente à Árvore de Natal do local – essa, do lado de fora dos portões presidenciais – e tomando um café quentinho, assisti a apresentações de crianças e adultos pertencentes a escolas de dança da cidade. A simplicidade e a casualidade do momento foi tão grande, que tornou esse um dos acontecimentos mais surreais da minha vida como viajante.

Após prestigiar os dançarinos, e empolgada com a grandeza da Casa Branca, fui perguntar se seria possível visitá-la. A resposta foi positiva, mas descobri que estava pelo menos vinte dias atrasada. Para um brasileiro visitar a residência do presidente americano, a nossa Embaixada é que deve fazer o pedido com uma antecedência de 21 a 90 dias antes da visita. Eu, que sonhava em fazer isso no dia seguinte, tive que me contentar com o prêmio de consolação.

Pertinho dali, fica localizado o Centro de Visitantes, um espaço muito similar a um museu interativo, no qual é possível conferir exibições, um modelo em grande escala da Casa Branca, reproduções de alguns de seus cômodos, assim como objetos que pertenceram aos antigos presidentes. Nessa ocasião, Barack Obama ainda estava à frente do país, e foi um grande oportunidade assistir a mensagens gravadas por ele e pela primeira-dama Michelle Obama. Um prêmio de consolação, que não dá para reclamar.

TOURS

Os tours na Casa Branca ocorrem de terça a sábado. Três meses antes da sua visita, contate a Embaixada Brasileira em Washington DC, e solicite a eles que façam o agendamento. Mais informações no site: washington.itamaraty.gov.br.

[email protected]

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome