Segundo os orixás, até o fim deste ano, serão meses 'pesados'. Pandemia tende a piorar curva de óbitos no Brasil nos próximos meses.
Segundo os orixás, até o fim deste ano, serão meses 'pesados'. Pandemia tende a piorar curva de óbitos no Brasil (Fotos: Arquivos Pessoais)

Passado meio ano da publicação do Caderno de Previsões 2020, na Folha do Mate, voltamos no tempo para buscar respostas na espiritualidade do que vem ocorrendo por conta de uma pandemia que já matou, neste ano, quase meio milhão de pessoas no mundo. Em Venâncio Aires foram sete mortes e 275 pessoas diagnosticadas com a Covid-19.

O babalorixá, as ialorixás e a astróloga de Venâncio Aires, entrevistados em dezembro do ano passado falavam de um novo vírus; de saúde em xeque; de novas concepções na área da educação; ano de muitos projetos e poucas ações; rupturas e términos de empreendimentos e sociedades; estiagem e calor prejudicando a agricultura. Acertaram! A ialorixá Yara, do Reino de Oxum, previa no fim do ano que, “Será tempo de muito aprendizado diante da necessidade de renovação pessoal, material e espiritual”.

Na prática é o que vem ocorrendo neste ano bissexto: a saúde das pessoas sendo testada, óbitos, regras de isolamento social, lockdown, empresas fechando as portas, economia em decréscimo. Os acertos nas previsões assustam, assim como os próximos alertas que vêm dos orixás através dos médiuns e da astrologia.

“O conselho é que as pessoas tenham fé, pois é ela que nos torna melhores e mais fortes diante das adversidades da vida.”

Adriana de Oyá  – Ialorixá

O que está por vir

Diante do cenário para este segundo semestre, a ialorixá Rejane Oyá diz que os problemas em relação à pandemia continuam. Segundo ela, em âmbito de país, haverá um maior número de óbitos registrados. “Até agora, a cura foi maior que os óbitos, mas agora, os óbitos aumentam”, diz a ialorixá. Ela alerta para que as pessoas continuem mantendo o isolamento social e as medidas de proteção. “Como falei em dezembro, seria ano muito pesado e de cuidados com a saúde. Disse que iriam aumentar riscos de acidentes, de suicídios e isso tudo continua até o final do ano”, diz.

O babalorixá João D’Agandju diz que, em termos de saúde, Xapanã anuncia melhora a partir de setembro, “mas não podemos descartar novas doenças”, acrescenta.

“Orixá Xapanã remete a alívio, à cura, é aconselhável pedir por intervenção e por misericórdia ao Pai Oxalá, mas de nada adianta misericórdia se o ser humano não aprendeu ainda que, o que estamos passando, é nossa culpa”, enfatiza o líder do Ilê Africano Xangô Agandju e Oxum Epanda.

“No final do ano eu disse que Venâncio teria uma perda na política e na medicina! Perdermos o médico e político”.

Leni de Ogum – Ialorixá

Na mesma linha, a ialorixá Leni, do Centro Espírita Ogum e Iemanjá, avalia este ano focado, quase que inteiramente na saúde, não somente pela Covid, mas pela dengue e pelo aumento nos problemas de depressão. “No final do ano, eu disse que Venâncio teria uma perda na política e na medicina!Perdermos o médico e político, dr. Milton Deves, e até o final do ano, mais um político da cidade passará por complicações de saúde”, prevê a mãe de santo.

A ialorixá Adriana de Oyá, responsável pela Casa de Caridade Oyá o quadro na saúde não é bom até o fim do ano. O frio intenso e das chuvas previstas até setembro, favorecem as doenças respiratórias. “O que vivemos até agora em termos de restrições, estas serão pequenas diante de tudo que está por vir. Por isso, toda medida de prevenção é importante”. Adriana explica que os orixás trazem a proteção, mas Xapanã é de cura e mostra o caminho a ser seguido. “ Cautela, cuidados como o isolamento e medidas protetivas, são necessárias. As pesquisas para vacinas serão intensificadas em busca da cura, neste segundo semestre”, diz a ialorixá. Ela tem a expectativa de que, em dezembro, a curva da pandemia esteja reduzida e se renove a reconstrução da economia no país.

“Em termos de saúde, Xapanã anuncia melhora a partir de setembro, mas não podemos descartar novas doenças”

João D’Agandju – Babalorixá

LEIA MAIS: Mapa astral de Venâncio orienta como será o segundo semestre

Eleições 2020

Com as eleições para prefeito e vereadores confirmadas para o dia 15 de novembro, o pai e mães de santo falam do possível cenário para Venâncio Aires.

Para a ialorixá Rejane de Oyá, além dos obstáculos para validar as eleições de 2020, alianças antigas serão quebradas e uma nova está sendo aproximada “com grandes chances de ser a nova administração da cidade”, diz. Rejane destaca desacertos, brigas “e muita coisa vindo à tona, ‘diz que disse’. Vai ser danada, ainda mais com mudança na administração, prevendo um novo ciclo no município”, ressalta a mãe de santo.

Leni de Ogum e Iemanjá reforça que será uma eleição muito disputada com surpresas e decepções para vários candidatos que tentam a reeleição. Novos nomes serão a promessa na Câmara de Vereadores, diz Leni. “Muitas ‘sujeiras políticas’ virão à tona nesta campanha e podem resultar em escândalos”.

Neste ano, segundo Adriana de Oyá, valerão os pesos e medidas na escolha de um candidato. “Com o distanciamento, a população passa a perceber o que é importante e relevante, e isso será a balança na escolha dos candidatos”, destaca Adriana.

Ao contrário dos demais sacerdotes ou médiuns, o babalorixá João D’Agandju diz que as eleições de Venâncio prometem grandes conflitos, mas não fala de mudanças. “Vai pegar fogo. Será uma das mais conflitantes eleições em ‘vários aspectos’, mas, apesar de toda essa disputa acirrada, a tendência da nossa política é ficar como está”.

“Como falei em dezembro, seria ano pesado e de cuidado com a saúde. Iriam aumentar riscos de acidentes, de suicídios e isso tudo continua até o final do ano.”

Rejane de Oyá  – Ialorixá

LEIA MAIS: Mapa astral de Venâncio orienta como será o segundo semestre de 2020

Pandemia: o que a astrologia revela sobre o momento atual

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome