Clássico Assoeva e agora Santa Cruz Futsal (ex-Assaf) movimentam a elite do salonismo Vale do Rio Pardo (Foto: Roni Müller/Folha do Mate)
Clássico Assoeva e agora Santa Cruz Futsal (ex-Assaf) movimentam a elite do salonismo Vale do Rio Pardo (Foto: Roni Müller/Folha do Mate)

Na tarde do feriado de quinta-feira, 11, na sede da Federação Gaúcha de Futsal (FGFS), foram definidos os detalhes quanto a realização do Estadual Série Ouro 2020. Diante do recuo dos representantes de Parobé e Rosário do Sul, a competição está confirmada com dez equipes de futsal.

“Tivemos uma reunião semi presencial dos representantes de clubes para definirmos a competição. A Assoeva, através de Vianei Hammes e o BGF, com a presença do técnico Vaner Flores, estiveram na sede da Federação. Demais clubes participaram com seus devidos representantes através de uma plataforma virtual. Depois de bater o martelo na confirmação do Estadual, se debateu assuntos em torno de regulamento, composição de chaves, fórmula de disputa, início e demais questões regulamentares que envolvem a competição”, destaca o Diretor de Competições da FGFS, Bruno Barbosa.

Diante da composição de duas chaves de forma regionalizada, ficou definido que serão confrontos em ida e volta dentro de cada grupo. Se classificam os quatro melhores de cada. Na sequência tem as quartas de final com as equipes da Chave ‘A’ enfrentando os melhores da Chave ‘B’. Os quatro classificados à semifinal serão ranqueados para definir a última eliminatória antes de conhecer o campeão da temporada.

O Estadual de 2020 não terá rebaixamento e em relação ao Estadual Série Prata, os dois finalistas terão vaga assegurada na Série Ouro de 2021.

Sem torcida nos jogos

Bruno declarou que o Estadual será inicialmente realizado com portões fechados. “Recebemos no feriado uma informação governamental de que a princípio não haverá liberação de público nos ginásios em 2020 e com isso já adiantamos aos representantes de clubes que o Estadual assim será com portões fechados. Qualquer mudança somente perante uma flexibilidade por parte do governo estadual,” disse.

O Diretor comentou ainda que a FGFS estuda um mecanismo na busca por recursos para apresentar aos clubes diante dessa nova realidade.

 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome