Com Batalha dos Aflitos perto de aniversário, Grêmio precisa repetir feito heroico

-

No dia 26 de novembro completam-se 16 anos da Batalha dos Aflitos, um dos momentos mais impactantes da história do Grêmio. Com quatro jogadores expulsos (o Náutico também teve um), o Tricolor Gaúcho tinha que, pelo menos, empatar contra o time pernambucano, mas além da desvantagem numérica tinha um pênalti contra. Mas não só o goleiro Galatto defendeu a cobrança como um contra-ataque mortal e o gol de Anderson deu a vitória ao Grêmio, que subiu para a Série A do Brasileirão 2006.

Desde lá o Tricolor venceu Copa Libertadores, Copa do Brasil, revelou muitos jogadores, construiu uma nova Arena e deu alegrias a seu torcedor, mas em 2021 se vê em uma situação dramática: o time pode cair pela terceira vez em sua história e uma virada é improvável, mais até do que no histórico jogo de 2005. Não à toa o presidente Romildo Bolzan, após a vitória contra o Red Bull Bragantino, pediu seis Batalhas dos Aflitos nos jogos que restam.

Quem quiser dar seus palpites nos jogos finais, optando pelas melhores casas de apostas, clique aqui para ter acesso a essas informações e ver as odds dos próximos jogos do Tricolor Gaúcho. A perspectiva é de tirar o sono do torcedor gremista porque não só a tabela reserva alguns jogos difíceis, mas é preciso torcer contra os rivais.

O que resta na reta final de competição

Com 32 pontos em 32 jogos, o Grêmio cavou fundo a sua cova e sair dela será muito difícil. A situação era dramática antes do jogo contra o Red Bull Bragantino, mas a equipe paulista preferiu escalar um time reserva, já que encara a final da Sul-Americana no fim de semana, e o Imortal fez sua parte, vencendo por 3 a 0.

O ânimo da vitória foi logo acompanhado de um duro baque: o Juventude venceu o Fluminense e chegou a 39 pontos. O rival estadual aliás venceu seus três últimos jogos, saindo da zona de rebaixamento e abrindo três pontos em relação ao Bahia. O São Paulo, que também estava começando a ter dor de cabeça com a zona do descenso, também se aproveitou de um time reserva (o Palmeiras pensa na final da Libertadores) e venceu o clássico paulista chegando a 41 pontos.

Ambos, portanto, mantiveram a distância e agora é o Atlético-GO que está na primeira posição fora da zona, com 39 pontos, sete a mais que o Grêmio. Outro problema: o Imortal não conta com sua torcida, depois da punição dada ao clube pela invasão ao gramado no jogo contra o Palmeiras.

Nos seis jogos restantes não há um meio-termo: o tricampeão da América enfrenta times que estão lá embaixo ou lá em cima. A trajetória começa contra a rebaixada Chapecoense na Arena Condá (34ª rodada), Flamengo (segundo colocado, jogo na terça-feira e com possibilidade de time reserva do Fla por causa da final da Libertadores) e na sexta-feira, pela 36ª rodada o time pega o Bahia, que também está em situação complicada e em má fase.

O jogo da 35ª rodada foi empurrado para o dia 02 de dezembro, um duelo que pode ser direto contra o São Paulo. Os últimos jogos são contra o Corinthians (5° colocado), em São Paulo, no dia 5 de dezembro, e, por fim, o jogo é contra o Atlético-MG, provavelmente já campeão brasileiro, na quinta-feira dia 9.

A vitória contra a Chapecoense é obrigação, mas ao mesmo tempo o time não vence fora de casa há dois meses. E se dá para contar com um time do Galo de férias na última rodada, o Grêmio terá duelos diretos contra Bahia e São Paulo, além de pegar um Corinthians que deve estar disputando uma vaga direta para a Libertadores, em São Paulo.

E ainda há um duelo doloroso contra o Flamengo, comandado por Renato Portaluppi. Enquanto Renato estará pensando na final da Libertadores, cuja disputa iniciou pelo Grêmio, sendo eliminado na fase inicial, o Tricolor estará lutando por sua vida. Qualquer coisa além de uma vitória pode ser um balde de água fria ou até a garantia de rebaixamento dependendo da combinação de resultados. A combinação de ser rebaixado, contra o Flamengo, que impôs uma humilhação histórica na Libertadores de 2019, e com o ídolo máximo Renato Portaluppi no comando do rival pode ser demais.

LEIA MAIS:

notícias esportes Folha do Mate

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes