Consulado local teve a primeira reunião no sábado, 7. No registro, as primeiras integrantes seguram a bandeira personalizada, mesclando o símbolo do Grêmio com a cuia de chimarrão (Foto: Divulgação)

Em 2018, o Brasil viu uma forte campanha que chamava a atenção para dizer que “lugar de mulher é onde ela quiser”. Embora tivesse motivações sociais, políticas e até familiares, muito disso também esteve associado aos estádios de futebol. Torcedoras, jornalistas, comentaristas e árbitras alvos de preconceito em um ambiente que, ainda, é muito masculino.

Isso tudo, mesmo no ‘país do futebol.’ Mas, para quem gosta e acompanha o mundo futebolístico, sabe que cada vez mais a participação feminina é importante. Seja nas diretorias dos clubes, nas cabines de imprensa ou nas cadeiras dos estádios. Nesse sentido, mais um movimento tem ganhado força e Venâncio Aires também virou cenário. Desde o fim de agosto, o município passou a contar com um Consulado Feminino do Grêmio.

Quem ‘puxou a frente’ foi a personal trainer Luana Stroschöen, que é a consulesa local. Natural de Vila Arlindo, a jovem de 34 anos diz que, além do amor pelo Grêmio, sempre gostou de jogar futebol, participou de campeonatos e entendia que ‘não era coisa só de homem’. “Não se trata de uma extensão do consulado misto, que já existe na cidade. Mas mesmo independentes, podemos trabalhar ações em conjunto e desconstruir essa imagem de que mulher não faz parte do futebol.”

Ao todo, são 34 sócias gremistas em Venâncio Aires, de um total de 231.

PARTICIPAÇÃO

Além de Luana, o grupo já conta com as seguintes consulesas adjuntas: Ana Paula Muller, Rita Carolina Machado Ellert, Ana Carolina Padua Lopes, Fernanda Angélica de Oliveira, Vanessa Behling, Bianca Haas, Gisele dos Santos e Andressa Palludo.

Informações podem ser buscadas através do Instagram @consuladofemininovenancioaires, pelo telefone 51 981411430 ou pelo e-mail [email protected].

No próximo sábado, 14, o grupo venâncio-airense participa da Convenção Consular 2019, no CT Hélio Dourado, em Eldorado do Sul, a partir das 8h, com participação dos principais dirigentes do Grêmio e do presidente Romildo Bolzan Junior.

Luana e Eroni Abella, coordenadora geral dos consulados femininos (Foto: Divulgação)

Consulados gremistas pelo Brasil

A fundação de um consulado feminino do Grêmio em Venâncio Aires seguiu uma iniciativa ainda recente e que começou na região, em 2018. Foi em Lajeado que a administradora Eroni Lorenz Abellla, 52 anos, fundou o primeiro consulado feminino gremista do Brasil.

Isso foi possível porque o atual presidente, Romildo Bolzan Junior, mudou o regimento do clube. Um ano e meio depois, já são quase 40, a maioria no Rio Grande do Sul, mas outros em Brasília, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e até no Canadá.

“Hoje, 18% dos sócios gremistas são mulheres, mas nos estádios são bem mais. Nas excursões para os jogos, muitas não se sentem à vontade, porque ainda é um ambiente muito masculino. Com os consulados femininos, elas ficam mais à vontade, inclusive para levar os filhos”, explicou Eroni.

Ainda conforme Eroni, que além de coordenadora geral dos consulados femininos é assessora adjunta do presidente Romildo, a orientação é trabalhar com os demais consulados ações sociais. “Isso faz parte da essência da mulher, que está mais inserida em algumas questões, mesmo que, às vezes, não entenda tanto de futebol.” O objetivo é, até o fim do ano, atingir 100 consulados femininos do Grêmio.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome