Furacão bateu o Colorado por 1 a 0 e conquistou sua primeira Copa do Brasil (Foto: Divulgação)

A metade vermelha do Rio Grande do Sul está indo dormir na madrugada desta quinta-feira, 19, extremamente frustrada. Isso porque o que era para ser uma noite perfeita, com a conquista de um título nacional depois de 27 anos, virou um pesadelo para os colorados. No duelo final diante do Athletico Paranaense, na noite desta quarta-feira, 18, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, o Colorado foi batido por 2 a 1 e deixou fugir o bicampeonato da competição.

O Inter entrou em campo eufórico e disposto a reverter a vantagem de 1 a 0 do Furacão na partida de ida. Teve excelente chance de abrir o placar com Nico López, mas Santos fez uma grande defesa. Na sequência, um duro golpe: Léo Citadini recebeu de Marco Ruben, dentro da área, e tocou na saída de Marcelo Lomba, para colocar os paranaenses na frente dos gaúchos.

O Colorado não se abalou e, logo depois, chegou ao empate com Nico López, que aproveitou bate-rebate na defesa atleticana e tocou para o fundo das redes. A torcida voltou a acreditar na conquista, pois um gol dava ao Inter a disputa nas penalidades, no mínimo. Mas, na primeira etapa, nada mais aconteceu e o resultado de 1 a 1 foi mantido até o fim.

Vieram os últimos 45 minutos – que viraram 52, com os acréscimos – e os vermelhos mantiveram a esperança. No entanto, o time exagerou nas bolas alçadas, a esmagadora maioria afastada pela zaga do Athletico. O tempo foi passando, o drama aumentando e o Inter não ‘fazia a coisa acontecer’. O ato final se deu aos 51. Ex-Inter, Marcelo Cirino, camisa 10 do Furacão, fez jogada sensacional e serviu Rony, que só empurrou para as redes de Marcelo Lomba e saiu para comemorar o primeiro título da Copa do Brasil dos paranaenses: 2 a 1.

 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome