Foto: Daniel Heck / Folha do MateNoca quer aproveitar da melhor maneira a sua oportunidade e quer união para vencer os desafios da Divisão de Acesso
Noca quer aproveitar da melhor maneira a sua oportunidade e quer união para vencer os desafios da Divisão de Acesso

Conhecido na cidade, pelo fato de ter uma das escolinhas mais antigas, o profissional Júlio César Scheibler, o Noca como é mais conhecido no município, chega com a missão de manter o Guarani na Divisão de Acesso. Na sexta-feira,15, à tarde, o profissional recebeu a equipe da Folha do Mate e, com uma fala forte, está animado para corresponder à oportunidade que lhe foi ofertada.

Folha do Mate – Em um curto período, a comissão técnica e a diretoria trabalharam para formatar o plantel de jogadores. Como você avalia esse trabalho junto ao departamento de futebol?

Júlio César Scheibler – Está sendo tudo muito tranquilo. Eu fiz algumas indicações, a diretoria está analisado e estamos em diálogo constante. Todos os atletas, que chegam na mesa para negociação, nós estamos fazendo uma analise criteriosa. O erro é bem menor quando o trabalho é desenvolvido em grupo, com mais olhares e visões diferentes.

Qual a avaliação do plantel de jogadores que foi montado?

Todos os atletas que foram contratados, vieram pelo fato de ainda terem objetivos na carreira. Em algumas ocasiões, o profissional chega na fase final da carreira e não tem mais vontade de estar ali. Avaliando o nosso grupo, nós apontamos para o [Wellington] Monteiro, que é um cara que venceu tudo e chegou aqui esbanjando vontade de ajudar. é isso que nós precisamos. Além dos jogadores, é preciso salientar que o apoio da torcida será fundamental. As cobranças são necessárias, mas primeiro venham ao Estádio e veja o ótimo trabalho que nós queremos desenvolver.

Pelo fato de você ser um profissional de Venâncio Aires, a cobrança da torcida será maior por resultados positivos?

O torcedor quer o resultado, mas ele também sabe valorizar quando uma equipe sabe jogar futebol e tem vontade de ganhar. Essa parte a comunidade pode vir me cobrar, já que eu garanto que o Guarani vai apresentar essas características. Eu estou buscando atualização constante para fazer um bom trabalho. Nessa semana passei uns dias com o técnico Ricardo Cobbalchi, do Internacional Sub-23. Ele esteve durante um mês no Barcelona e nós trocamos algumas ideias, métodos de trabalho e informações.

Qual vai ser a cara da tua equipe?

Um time valente, que procura desde o início o gol e, ao mesmo tempo, equilibrada. Não adianta atacar o defender de maneira desequilibrada. A minha filosofia de trabalho e a forma de atuar dos jogadores precisam andar no mesmo ritmo, não adianta um elo estar fora do embalo.

Como vai ser trabalhar com jogadores jovens e com outros mais experientes?

Nós temos a presença do Wellington Monteiro, que ganhou tudo na carreira, e ele chegou com ‘sangue nos olhos’. Vamos conversar para a parte física ser bem trabalhada e utilizá-lo como um trunfo dentro do grupo. Apesar da característica do plantel ser de um time jovem, os atletas que estão chegando já tem uma boa rodagem no futebol brasileiro.

A nossa proposta é aliar a juventude e experiência para ter bons resultados. Inclusive, os garotos da base vão ter a mesma atenção que os demais. Se eles fizerem por merecer, vão receber uma chance na equipe titular.

Como será o trabalho da comissão técnica?

O Tiago (preparador de goleiros) é um vencedor, apesar da juventude. Fez um excelente trabalho com o Guarani. O Gustavo eu conheço como adversário e tem no seu histórico bons resultados. A filosofia, não só entre a comissão técnica, diretoria e jogadores, mas com a torcida, é de união. Todos precisam estar no mesmo caminho.

Eu vejo que o ambiente está excelente, desde o pessoal da cozinha até o presidente, o discurso é o mesmo. Isso me deixa muito motivado.

Como você projeta essa Divisão de Acesso? Quais os principais adversários do Guarani?

As equipes que mantém uma base da temporada passada, naturalmente largam em vantagem. Nós começamos do zero, vamos precisar encorpar o grupo.

é possível apontar que o São Gabriel, Pelotas, Caxias, São Luiz e Brasil de Farroupilha largam em vantagem pelo investimento ou por dar continuidade ao trabalho de 2015.

O Guarani está correndo por fora, mas vamos chegar afinados no início da competição. O nosso primeiro objetivo é escapar do rebaixamento, mesmo sabendo que o time pode mais, mas precisamos de ter pés no chão