Sensei Marco Antônio Pretto com a mais nova graduada Maria Eduarda Costa, 19 anos (Foto: Ondina Miranda/Divulgação)

Sexta-feira, 13. Tem pessoas que consideram um ‘dia de mistérios, de azar’. Que nada. Superstição. A data em 2019 por exemplo para a judoca Maria Eduarda Costa, de 19 anos, será lembrada e porque não afirmar pelo restante da vida. Foi quando ela recebeu a nobre promoção à faixa preta da arte marcial. A Federação Gaúcha de Judô (FGJ) promoveu o Bonenkai da temporada no encontro festivo realizado no aconchegante salão de festa da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), em Porto Alegre.

Maria Eduarda Costa, filha de Eduardo Costa e Maria Beatris Costa é o 17º aluno que chega na graduação máxima desde que o sensei Marco Antônio Pretto vem comandando o judô na Capital Nacional do Chimarrão.

(Foto: Divulgação)

Ele destaca que para Maria Eduarda está iniciando um novo ciclo no judô. Para chegar lá a judoca teve um enorme aprendizado. “Tem muitos alunos que começam cedo praticando o judô. Ela ingressou aos 12 anos. Passou pelas faixas branca, cinza, azul, amarela, laranja, verde, roxa e marrom. Chegou na preta com muitos méritos. Teve dedicação ao máximo. É como deve ser. Enquanto muitos param em meio ao caminha, alguns se dedicam ao máximo e parta a Maria Eduarda é um degrau a mais que foi alcançado. É uma conquista que me deixa muito feliz pois é mais uma atleta que começou no judô, passou por todas as etapas e agora se forma na faixa preta”, declarou o sensei.


“Feliz da vida com mais essa conquista. Uma graduação que é necessário muito estudo e dedicação. Os objetivos não param por aí nessa nova fase que se inicia”.

MARIA EDUARDA COSTA – A mais nova faixa preta


“Comecei no judô aos 12 anos. Se passaram sete anos. Você vai subindo de faixa e quando chega na marrom já pensa em um dia ser faixa preta. Para isso estudei bastante. Foram participações em cursos, viagens mensais para Porto Alegre, arbitragem em competições. É gratificante por demais”, disse a mais nova graduada.

Maria Eduarda conta que em julho realizou o teste Nague-no-kata e não obteve o resultado desejado. “Assim as atribuições foram em dobro no fim de ano. Teve prova teórica, o Nague-no-Kata e mais o Waza que é a prova decisiva. A nota final foi boa e assim obtive a aprovação”, destaca a atleta que acrescenta: “Processo difícil mas de muito aprendizado. Hoje sei o quanto vale realmente o esforço”.

Família Costa na noite de ‘gala’ para a judoca Maria Eduarda (Foto: Divulgação)
  • Sétima edição
    No ranking das entidades, o judô de Venâncio Aires ficou na 25ª posição geral. Os 336 pontos são provenientes da participação na Copa Abertura, Troféu Assonaju, Supercopa de Lajeado, Troféu Arroio dos Ratos, Campeonato do Interior, Supercopa Professor Loanzi e no Meeting Interclubes.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome