Os preparativos do Rubro-negro para o jogo em Pelotas

-

Depois de amargar a terceira derrota consecutiva e a segunda no returno da Divisão de Acesso, o Guarani volta suas atenções para o compromisso no domingo, 20, contra o Pelotas, na Boca do Lobo. Em penúltimo lugar na tabela do Grupo B com nove pontos, o Guarani precisa voltar a pontuar para se afastar de vez das últimas posições. O Pelotas é o voce-líder com 15 pontos.

Os trabalhos na tarde desta quarta-feira foram orientados no gramado do Edmundo Feix. O técnico Serginho Almeida busca alternativas para a formação titular no domingo. O comandante conta com o retorno do lateral esquerdo Xaro que não atuou contra o São Gabriel. Ficam fora pelo terceiro cartão amarelo o zagueiro Lucão e o lateral direito Peixoto e mais Rafael Lima que foi expulso em São Gabriel. O zagueiro Josias segue no Departamento Médico a exemplo de Júlio César e Ferdinando.
Ontem à tarde foi realizada uma movimentação tática contra a garotada da base da CSR Sport.

Conforme o cronograma traçado pela comissão técnica, os trabalhos nesta quinta-feira, dependendo das condições climáticas, serão em dois turnos. Está projetada uma atividade na sexta-feira à tarde. O coletivo apronto será na manhã do sábado. No começo da noite a delegação viaja para Pelotas onde o jogo no domingo será a partir das 15h.

Zagueiro Lucão: “Quem merece punição é o jogador e não a instituição São Gabriel”

Mais um ato de racismo veio à tona em jogo da Divisão de Acesso de 2022. O zagueiro Lucas Matheus da Silva Nascimento, o Lucão, atleta do Guarani, registrou ocorrência policial alegando ter sido chamado de macaco após o confronto contra o São Gabriel. A partida válida pela segunda rodada do returno da Divisão de Acesso foi disputada no domingo, 22, no Estádio Sílvio de Faria Corrêa, em São Gabriel.

Conforme o atleta, “quando estava próximo a porta do vestiário torcedores começaram a me xingar, proferindo palavras de racismo contra minha pessoa. Me chamaram de macaco e mandaram fazer a dancinha. Retornei ao gramado, chamei a arbitragem e relatei os fatos. Companheiros de equipe viram o torcedor que acabou saindo do local e não foi mais visto”, disse o jogador do Rubro-negro.

Lucão foi até a Delegacia de Polícia de São Gabriel onde foi feito o Boletim de Ocorrência.
O titular da Delegacia de Polícia de São Gabriel, o delegado José Soares Bastos disse à reportagem da Folha do Mate nesta semana que serão tomadas as medidas cabíveis. “Vamos buscar as imagens e tentar identificar os suspeitos, pois o jogador relatou as características físicas e as vestes de duas pessoas que teriam cometido os atos de injúria racial”, falou o delegado, acrescentando que também poderão ser utilizadas, caso existam, “imagens extraoficiais, feitas com telefones celulares”.

Ontem o jogador do Guarani declarou que o “único objetivo é a punição ao torcedor. Em momento algum quero prejudicar a instituição São Gabriel. Espero que o torcedor seja identificado. Vários casos vem sendo registrados e espero que os órgãos competentes consigam a identificação do torcedor e que seja punido como deve ser”, disse.
Em nota oficial, o Guarani escreve que “não queremos mídia, queremos resolver a questão entre os clubes para identificar o torcedor e ele sim ser punido e não o clube.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes