Foto: Divulgação / Divulgação20 anos de carreira do atleta
20 anos de carreira do atleta

Quem não ouviu ou até mesmo já cantou a música da dupla Milionário e José Rico, ‘Estrada da Vida’. Só pra lembrar: Nesta longa estrada da vida, vou correndo e não posso parar, na esperança de ser campeão, alcançando o primeiro lugar… A letra da música não deixa de ser uma fonte de inspiração para o corredor Paulo Ricardo Abrahão. Aos 48 anos, ele completa em 2017, 20 anos de inteira dedicação às corridas de ruas.

Lá se vão duas décadas no atletismo. “Comecei quando tinha 28 anos. Estou indo para os meus ‘4.8’. São 20 anos de muitos quilômetros não caminhando, e sim correndo por vários estados do Brasil. Correr por aí, praticar o esporte saudável, competir, ganhar e perder. Tudo isso é um complemento da minha vida”, afirma o corredor.

Em corridas de rua ou pista, a resistência de Paulo Abrahão sempre foi algo desafiador. “Não basta apenas estar bem preparado. Claro que o condicionamento físico é essencial. Para você ter uma participação padrão nas competições, é necessário também estar de bem consigo mesmo. Sempre tive muita humildade. Corri muito atrás de alguns objetivos que foram alcançados. Tudo sempre foi na base do suor. A questão da determinação sempre caminhou lado a lado comigo. Por isso acredito que consegui colecionar muitas conquistas”, destaca o corredor.

Ele acrescenta ainda que foi no esporte que conquistou um legado muito grande de amizades. “A persistência que sempre demonstrei é algo hoje admirado por muitos na sociedade. Ao longo destes 20 anos representando Venâncio Aires, consegui levar para os quatro cantos do Rio Grande do Sul e demais estados, o nome da Capital do Chimarrão. Sempre dei o meu máximo. Para muitos dos competidores, a disputa fica apenas no percurso. Prevalece antes e depois a amizade e além disso o respeito, algo que infelizmente não se vê e até mesmo se perdeu de vez em algumas outras disputas de modalidades”, enfatiza o atleta.

Abrahão faz questão de destacar as diversas participações que teve na corrida de São Silvestre, evento realizado no dia 31 de dezembro, na capital paulista. “Foram nove medalhas. Mantenho a melhor posição alcançada por um corredor de Venâncio Aires na São Silvestre. Coleciono várias outras conquistas em rústicas, meia maratonas, em maratonas e demais competições. Por tudo que passei, que não foram poucas as dificuldades, posso afirmar que tudo valeu muito a pena” disse Abrahão que atualmente trabalha na empresa BRF, em Lajeado.

Por fim, Abrahão faz questão de destacar que muitas das conquistas até hoje são provenientes também do apoio que ao longo dos anos recebeu de algumas pessoas que apoiam o esporte. “Agradeço à Deus pela minha saúde. Ele sabe o que faz. Tenho muitas pessoas que sempre me apoiaram. Elas é que acreditaram no meu trabalho sempre feito com muita transparência. Sigo treinando, correndo. Não vou parar por aqui porque sigo em busca de mais objetivos. Minha meta é seguir conquistando os pódios na vida”, finaliza Paulo Abrahão.