Foto: Vanessa Behling / Folha do MateTombos foram protagonizados durante toda a competição
Tombos foram protagonizados durante toda a competição

Não era o tradicional time da Associação Independente de Veteranos de Venâncio Aires (Assive) em campo. Quem circulou pelas imediações do campo não deixou de conferir e dar boas risadas ao ver em campo 14 atletas, ou melhor, gaúchos, disputando o ‘Futebol de Bombacha’. Integrando a PROGRAMAÇÃO dos Festejos Farroupilhas de Venâncio, a competição, realizada no campo da Assive, no Parque do Chimarrão no domingo, 15, reuniu seis equipes, representantes de entidades tradicionalistas do município.

Para não cansar os competidores, o tempo de jogo foi reduzido para 12 minutos cada, assim como o tamanho do campo, que foi usado pela metade. A arbitragem, sob responsabilidade do experiente Adroaldo Vieira, o famoso Véio, e de Jorge Fagundes, como em qualquer partida, foi contestada, mas dessa vez, a reclamação teve um motivo ainda maior: o uniforme. Os atletas não aprovaram o tradicional calção e camiseta, já que o foco do jogo estava todo voltado para o lenço, a bombacha e as botas.

Foto: Vanessa Behling / Folha do MateNas partidas, prevaleceu a diversão
Nas partidas, prevaleceu a diversão

O primeiro jogo da tarde foi na categoria misto juvenil, entre o CPF Terra de Um Povo e o Piquete Machry. As meninas do time faziam apenas um pedido aos companheiros do time: “passem a bola para nós também”. De fora do campo ouvia-se algumas instruções, como “não parem de correr, se parar é queda na certa”, ou ainda, “se o adversário passar do meio campo, derruba”. O título da categoria juvenil foi decidido nos pênaltis, já que o tempo normal transcorreu sem gols. Nas cobranças o CPF Terra de Um Povo marcou 1 a 0 e ficou com a premiação.

Já na categoria adulta, os seis times (CPF Terra de Um Povo, Piquete Machry, CTGs Chaleira Preta, Pousada do Capão e Erva-Mate; e GDT Terra do Chimarrão) foram divididos em duas chaves, sendo que os dois melhores de cada avançaram às semifinais, que definiram os dois times finalistas.

Durante as partidas prevaleceu a diversão, mas o espírito competitivo também foi bastante aflorado. Pois, quem pensou que não teria expulsões se enganou. Numa entrada mais dura, dois jogadores, um de cada time, foram expulsos no confronto entre o CPF e o Piquete Machry. Mas ao final da partida, o ocorrido foi esquecido depois de um caloroso abraço entre os dois atletas.

Mais informações no flip ou edição impressa de 17/09