Quarteto campeão com o venâncio-airense Jonas Simon (2º da D/E) (Foto: Divulgação)

Top. Muitos resumem desta forma a realização da mais tradicional prova do automobilismo gaúcho e brasileiro, as 12 Horas de Tarumã. Excelente. Essa foi a performance da equipe de Choca Surtuli, Juliano Fantim, Marcos Silveira e do venâncio-airense Jonas Simon que conquistou no fim de semana o título geral. O trabalho excepcional em equipe resultou na conquista do primeiro lugar. Algo para os mais competentes e abnegados do mundo da velocidade.

“Só quem vive o mundo da velocidade sabe o quanto é apaixonante você estar ali atrás do volante e pisar fundo. O trabalho, o esforço de cada competidor e a engrenagem de toda uma equipe, quando se encaixa, resulta em um bom resultado. A conquista por um bom resultado como conquistamos vem aliado naquilo que todos se propõem. Nossa equipe foi isso: convicção e sincronizo total. Trabalhamos e muito e no final tivemos todo o esforço recompensado”, desta Jonas Simon.

A largada das 12 Horas de Tarumã foi a meia noite de sábado. Jonas Simon conta que após a tomada de tempo, sua equipe largou em terceiro lugar – 98 milésimos de segundo atrás do primeiro colocado. A opção em disputar a prova foi por um Onix. “Ele é mais resistente em relação a um Corsa, Celta, Gol ou Uno. Cabem também 6l de álcool a mais. São estratégias que fazem a diferença”, destaca Simon que em 2005 sentiu o gostinho do título quando foi mecânico por uma equipe de Passo Fundo. “Nada é igual ao título de você estar pilotando. É adrenalina a partir da meia-noite, passa pela madrugada, amanhecer, metade da manhã e vai até a bandeirada do meio-dia seguinte”, disse o piloto.

Momento mágico para todo e qualquer piloto: a bandeirada final (Foto: Divulgação)

Na primeira meia hora de corrida, o Onix 8 caiu para a quarta posição. A primeira parada foi com 1h20min de corrida. O primeiro piloto andou mais uma hora até a segunda parada quando Jonas Simon assumiu o volante. Nesse momento sua equipe estava na liderança e uma volta à frente do segundo colocado. “Andei por 1h35min para o reabastecimento do carro e troca de pneus. Diante dessa parada de 2min30seg acabei voltando em segundo lugar. Entreguei o carro às 5h15min, já clareando o dia na condição de líder e três voltas na frente”, declarou.

Em meio a corrida o carro teve um problema na bomba de combustível. “O Onix foi rebocado e assim perdemos a boa vantagem até então. “Foi então que o trabalho em equipe prevaleceu. Todos estavam apostos e quando o carro retornou para a pista, a prova passou a ser de superação. Tudo saiu perfeito, de forma sincronizada mesmo. Passamos o restante da manhã andando firmes e fortes. Na linha de chegada recebemos a bandeirada com 4seg de vantagem para o segundo colocado”, conta Simon.

SAIBA MAIS

  • Jonas teve uma temporada épica. Foi campeão gaúcho do Marcas e Pilotos. Agora integrou o quarteto campeão das 12 Horas de Tarumã.
    Para 2020 o piloto tem projetos audaciosos e não descarta a participação no Campeonato Brasileiro.
  • É o número de litros de álcool consumidos pela equipe para a pilotagem das 12 Horas de Tarumã. Foram gastos ainda um total de 18 pneus.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome