O amor pelo rock está nos artigos de decoração da casa de Nelsi (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)

Talvez você já tenha sido atendido por Nelsi da Rosa Schmidt, ou então, o seu sorriso e a boa energia tenham te chamado atenção enquanto passava na rua ou atendia em alguns dos estabelecimentos comerciais que já atuou em Venâncio Aires. Figura conhecida do comércio, ela é exemplo de positividade e vitalidade.

Quando recebeu a reportagem em sua casa, no bairro Brígida, o som de fundo para entrevista foi uma playlist de rock n’roll. Mas se não bastassem as músicas, a decoração da casa em que mora depois que os filhos Camila, Carolina e Gabriel mudaram-se para Santa Cruz do Sul, mostra sua paixão, principalmente, por The Rolling Stones.

Aos 64 anos, ela não deixa de sair de casa munida de sorriso, brilho no olhar, acessórios e um ‘batonzinho’ todos os dias para trabalhar. Ela conta que sempre gostou do movimento do comércio. Natural de Sinimbu, antes de ser vendedora, Nelsi foi proprietária, ao lado da família, de uma empresa de confecções de abrigo, que funcionava no Edifício Storck. Quando trocaram o comércio de confecção para o de roupas em geral, eles atenderam, durante um tempo, em uma sala localizada na esquina da rua Tiradentes com a Barão do Triunfo. No entanto, quando decidiram fechar o estabelecimento, Nelsi não conseguia se ver longe do comércio. “Lembro que quando fui entregar a chave da sala da rua Tiradentes na imobiliária, passei na frente de onde hoje é a Rejane Calçados e vi que estavam abrindo algo ali”, recorda. Na época, eles estavam instalando a Calçados Maria Bela e ao se demonstrar interessada pela empresa, ela acabou sendo convidada para trabalhar no local, que depois acabou se tornando Rejane Calçados, empresa na qual foi colaboradora durante 10 anos.

Depois de ficar um tempo em casa, ela voltou ao comércio para trabalhar na Stock Shop, local onde atuou 12 anos. “Quando recebi a notícia de que a loja iria fechar, cheguei a pensar o que faria e pensei até em enviar alguns currículos”, relembra. No entanto, não foi necessário porque logo após começou na Casa Lopes, atual emprego, onde já está há três anos. “Lembro que queria algo que tivesse movimento, mas nunca pensei que fosse tanto”, conta, entre risos.

Nelsi com os filhos, genros, nora e as netas (Foto: Jordanez Schmidt/Divulgação)

AMOR PRÓPRIO

Não é necessária uma conversa longa para perceber a vontade de viver e a positividade cultivada por Nelsi. A avó coruja de Laura, 10 anos; Joana, 9 anos, e Mariana, 5 anos, gosta de estar entre família e amigos. Ela não esconde o quanto ‘curte’ a sua própria companhia e o gosto por pescar lambari. A justificativa para isso são os churrascos acompanhados por maionese, uma cervejinha e uma mesa “bem bonita”, posta apenas para que ela possa degustar das refeições da melhor forma possível, mesmo quando está sozinha. É importante lembrar que, enquanto cuida da casa, da horta e prepara as refeições, o rock n’roll segue sendo tocado no rádio.


“Não sinto a idade que tenho por eu ser feliz, pensar positivo e pensar sempre coisas boas.”

NELSI DA ROSA SCHMIDT – Vendedora


Desde muito cedo, quando os filhos ainda eram adolescentes, ela conta que ‘abria a casa’ para as jantas dos amigos. “Eu sempre ficava no meio deles e acabávamos ficando até o amanhecer”, lembra. Amigos esses que se tornaram seus também e, hoje, a visitam com frequência e se reúnem sempre que alguns dos filhos está em Venâncio. “Em algumas situações, os amigos do meu filho ligavam pra ele enquanto ele ainda estava em Santa Maria estudando e diziam que estavam aqui em casa fazendo companhia para mim”, ressalta.

Além desses amigos, ela cultiva outros 15 grupos de amigos diferentes e, confessa, que nessa época do ano, com o horário estendido no comércio, é sempre corrido devido as confraternizações. Sem contar as reuniões para os jogos de cartas uma vez ao mês, que começam com almoço e depois só diversão.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome