Faltando pouco mais de sete meses para as eleições municipais, que vão eleger novos prefeitos e vereadores, já é intensa a movimentação política em Mato Leitão, Vale Verde e Passo do Sobrado, cidades que integram a microrregião de Venâncio Aires. Os nomes tanto para a disputa majoritária, quanto para a Câmara de Vereadores começam a ser trabalhados, em especial daqueles que têm uma forte relação com a política e nutrem esperança de ganhar a confiança dos cidadãos para chegarem ao Legislativo e Executivo.

O momento é de tratativas internas dos partidos, bem como de sondagens entre as legendas, que no futuro próximo podem estar juntas na corrida eleitoral. Nos três municípios, dois prefeitos devem ir à reeleição. Além disso, são vários os nomes que surgem como alternativas para composição de uma chapa para buscar a Prefeitura. Entre eles estão, principalmente, vereadores com mandato, seja pela projeção nos quatro anos de Legislativo ou mesmo por desejo próprio (confira tabelas nesta página com a situação de cada um deles).

MATO LEITÃO

Em Mato Leitão, o atual prefeito, Carlos Bohn (PSDB), já se lançou pré-candidato à reeleição. Nos bastidores, a informação é de que ele pretende reeditar dobradinha com Arly Stöhr, o Flecha (PDT). No entanto, nesta semana, o atual secretário de Saúde, Arcênio Maldaner (MDB) – que é vereador -, informou que o seu partido já apoiou a chapa e, agora, seria o momento de o PDT dar o suporte e o MDB indicar o vice, que pode ser ele. Caso a sugestão não seja acatada, não se descarta a hipótese de o MDB lançar candidatura própria. Pelo lado da oposição, Gerson Horn (Progressistas) é um dos apontados como pré-candidato ao Executivo. O partido tem outros nomes, também, e negocia apoio junto a outras legendas.

PASSO DO SOBRADO

Em Passo do Sobrado, o indicativo é de que o atual prefeito, Hélio de Queiroz (PTB), não buscará a reeleição. Pela base governista, é provável que o ex-prefeito Caio Baierle (PT), atual comandante da Secretaria de Administração, seja o nome escolhido para encabeçar a chapa. A oposição cogita o ex-prefeito Gilberto Weber (PDT) para chegar forte à disputa, mas o nome da vereadora Núbia Bartz (PDT) também é ventilado. Uma terceira via pode ser consolidada, com Evaldir Dettenborn (PSDB) concorrendo a prefeito.

VALE VERDE

Em Vale Verde, o atual prefeito, Carlos Gustavo Schuh (MDB), vai concorrer à reeleição. O vice é que pode ser outro – no lugar de Roque Eisermann (MDB) -, já que há a possibilidade de coligação com outros partidos. Ricardo Azeredo (PSB) é apontado como principal oponente, mas não é certo que aceite concorrer. Há comentários de que o PSB tenta se aproximar do PDT, que atualmente faz parte do governo, para uma dobradinha. E, como Schuh e Azeredo se dão muito bem, não pode ser descartada a hipótese de uma candidatura de consenso, com o atual prefeito na cabeça e Azeredo de vice. É pouco provável que isso de fato aconteça, mas quem vive a política de Vale Verde assegura que existe a possibilidade.

LEIA MAIS: Prazo eleitoral forçará mudanças no primeiro escalão

FIQUE POR DENTRO 

Passo do Sobrado 

• Airo da Fonseca (PTB): Ainda não definiu se concorre à reeleição.

• Celina Maria da Rosa (MDB): Disputa, pelo menos, a reeleição para a Câmara. Se coloca à disposição da sigla para eventual disputa à majoritária.

• Elísio Machado (Progressistas): Vai, no mínimo, em busca da reeleição para o Legislativo, onde é o atual vice-presidente. Não descarta compor chapa majoritária, se for convocado pela legenda.

• Emanuel Kroth (PT): Atualmente, é secretário de Saúde. Pretende concorrer à reeleição para vereador, mas comenta que pode estar “onde o partido definir”.

• Valdir Pacheco (PTB): Ainda não definiu se concorre à reeleição.

• Vinícius da Rosa (PDT): Pretende concorrer à reeleição para a Câmara. Sobre a majoritária, entende que a sigla está “bem servida de nomes” e que ainda não é o seu momento.

• Núbia Kaufmann Bartz (PDT): Vai à reeleição para o Legislativo e diz que está à disposição da legenda para eventual disputa do pleito majoritário.

• Selmo Baierle Fagundes (PT): Vai concorrer à reeleição para vereador. Afirma que até já pensou em dar um tempo para a política, “mas o povo pede para continuar”.

• Valdenir Linch (PTB): Ainda não definiu se concorre à reeleição. Diz que, embora as coligações proporcionais tenham acabado, as tratativas para a majoritária podem influenciar seu planejamento.

• Gilberto Hermes (PT): Informa que precisa de mais tempo para pensar. É suplente e, se concorrer, será para vereador. Não cogita majoritária.

Vale Verde 

• Adilson Romão (MDB): Tentará a reeleição para vereador, no mínimo. Revela desejo de ser lembrado para a majoritária, mas comenta que isso deve ser decidido no âmbito do partido.

• Carlos Toillier (Progressistas): A princípio, concorre à reeleição para o Legislativo. No entanto, não descarta a possibilidade de oferecer seu nome para o pleito majoritário.

• Cecília Niemeyer (PT): Ainda não quer confirmar, mas diz que a tendência é buscar mais um mandato na Câmara.

• Clenice de Mello Carvalho (MDB): Não vai concorrer. Diz que está se retirando da política.

• Elário Rosa da Silva (MDB): Confirma que vai buscar a reeleição para vereador.

• Eloir Storch (MDB): Afirma que ainda é cedo para confirmar ou não uma candidatura. Não sabe se concorre ou não, nem se tenta reeleição para vereador ou oferece o nome à majoritária.

• Flávio da Silva (PRB): Afastado da Câmara por problemas de saúde, deve voltar em março ao Legislativo e diz que será candidato em outubro se a saúde permitir.

• Rogério Dettenborn (Progressistas): Vai, pelo menos, a vereador. Contudo, analisa possibilidade de compor chapa à majoritária.

• Sandra de Mello da Silva (PSB): Para ela, ainda é cedo para uma manifestação definitiva. Está em dúvida sobre concorrer ou não. Precisa de mais tempo para pensar sobre o assunto.

• Antônio Pereira Nunes (PDT): Suplente, está na Câmara no momento e confirma que buscará eleição para mandato como titular.

Mato Leitão 

• Elton Uhlmann (MDB): Confirma que vai concorrer à reeleição para a Câmara de Vereadores.

• Arcênio Maldaner (MDB): No quinto mandato, não quer mais disputar vaga no Legislativo. A intenção é compor chapa majoritária.

• Clair Konrad (Progressistas): Diz que ainda não pensou nisso, que é cedo para uma definição, mas que está “à disposição do partido”.

• Emerson Kirch (PSDB): Vai concorrer à reeleição para vereador.

• Gerson Horn (Progressistas): Afirma não pretende buscar a reeleição para a Câmara. No entanto, é provável que faça parte de uma chapa majoritária, na cabeça ou como vice.

• Isabel Machry (PSDB): Informa que não pretende concorrer à reeleição.

• Osmar Renê Bick (PSDB): Vai buscar o quarto mandato como vereador.

• Régis Martens (PDT): Atualmente, é secretário de Obras e diz que está analisando se buscará novo mandato na Câmara. Descarta compor chapa majoritária.

• Volnei Hochscheidt (Progressistas): Sua análise é de que chegou o momento de compor chapa majoritária. Para vereador, não deve concorrer.

• Jair Bogorny (MDB): Diz que ainda é cedo para uma definição, mas acredita que vai tentar mais um mandato de vereador.

• Luciano dos Santos (PDT): Suplente, está na Câmara, no momento, mas declara que ainda não sabe se buscará o mandato de titular.

*Colaboraram Claudio Froemming, Rosana Wessling e Taís Fortes

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome