Mapa elaborado por Helena de Moura Vogt

Levantamento de dados divulgado pelo projeto ObservaDR-Covid-19, ligado à Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), mostra que o bairro Coronel Brito concentra o maior número de casos confirmados de Covid-19, em Venâncio Aires. 

A análise considera os 78 casos confirmados até o começo da sexta-feira, 8. Segundo relatório do coordenador do projeto, o professor e geógrafo Rogério Leandro Lima da Silveira, a distribuição espacial dos casos confirmados no município mostram que a doença está se difundindo mais rapidamente em alguns bairros. Dos 78 casos considerados, 20 são moradores do bairro Coronel Brito, sete no bairro Cidade Nova, sete no Gressler, seis são moradores do Cidade Alta, outros seis do bairro Aviação e cinco no Santa Tecla. O estudo revela que o Coronel Brito, com 20 casos, é também onde há maior concentração de pessoas, maior número de moradores por moradia e onde a maior parte da população apresenta menor renda e condições sociais. “Importante dizer que Venâncio Aires vem fazendo um bom trabalho junto à comunidade local. No que se refere aos dados, o Município está computando todos os testes, inclusive da rede privada, o que é essencial para ter uma fotografia mais exata do contágio da doença, na cidade”, observa Silveira.

Conforme os pesquisadores, é importante identificar quais são os bairros mais populosos para ajudar a identificar as áreas da cidade que mais concentram pessoas e que possuem maior número de moradores por domicílios e, consequentemente, apresentam maior potencial de risco de contaminação e de propagação do coronavírus. Dentre os bairros da cidade que exigem mais atenção por conta desses indicadores, destacam-se Battisti, Coronel Brito e Brands.

Para a análise de dados, os pesquisadores envolvidos contaram com apoio da Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo e também dados da Secretaria de Saúde.

DESTAQUES DO OBSERVA DR – COVID-19

Distribuição espacial da população urbana de Venâncio Aires

Os cinco bairros mais populosos da cidade são em ordem decrescente: Centro, com 5.862 pessoas; Aviação, com 4.292 pessoas; Coronel Brito, com 4.010 pessoas; Gressler, com 2.985 pessoas; e Cidade Alta, com 2.104 pessoas. Segundo o ObservaDR-Covid-19, os moradores desses cinco bairros, quando somados respondem por aproximadamente 30% da população total da cidade. 

Dentre esses bairros, o estudo observa que o bairro Coronel Brito demanda ainda maior atenção, pois a população tem menor condição socioeconômica, muitos domicílios com mais de moradores, e mais dificuldades de acesso aos serviços de saúde e ao comércio de produtos essenciais.

Já os bairros Centro, Gressler, Cidade Nova, Brígida e Coronel Brito registram maior concentração de pessoas por quilômetro quadrado. “Essa maior concentração de população nesses bairros requer atenção nas ações de distanciamento social que visam a prevenção e de controle da circulação do vírus”, diz o relatório.

Os pesquisadores também observam que os bairros que apresentam maior número de domicílios com número médio de moradores de três a quatro moradores por residência são os bairros Battisti, Coronel Brito e Canto do Cedro.  “Também se destacam nesse quesito, os setores sul dos bairros Cidade Nova, Xangrilá e Macedo”, diz o estudo.

O relatório identifica que os bairros Battisti, Coronel Brito, Canto do Cedro e Macedo, por estarem localizados em áreas da cidade com menor cobertura da infraestrutura de saneamento básico, com habitações em condições precárias, com baixa renda familiar, e com famílias em situação de risco, e também por apresentarem elevado número médio de moradores por domicílio, são bairros que potencialmente oferecem maior risco de contágio e transmissão do vírus.

Concentração

Segundo o levantamento, no bairro Battisti é onde estão a maior parte dos domicílios com mais de cinco moradores. Estas residências, conforme o relatório, se caracterizam por abrigar famílias que incluem, além do casal e seus filhos, muitas vezes também irmãos e os avós. “Em muitos desses domicílios o espaço a ser compartilhado na residência é de pequena dimensão o que representa potencial risco de contaminação do Covid-19 entre seus moradores, exigindo deles atenção e cuidados redobrados”, diz o relatório.

Importante observar que, embora seja um bairro que demanda maior atenção, não há nenhum caso confirmado da Covid-19 no Battisti, até a sexta-feira, 8.

SAIBA MAIS

O ObservaDR-Covid-19 é composto de um conjunto de dados tratados a partir das fontes como IBGE, FEE, DATASUS e outros bancos de dados e tem como objetivo fornecer informações para a gestão pública da pandemia no Vale do Rio Pardo. A iniciativa reúne voluntariamente cerca de 20 professores e estudantes de mestrado, doutorado em Desenvolvimento Regional e de graduações da Unisc. 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome