Baixa procura motiva mutirão de vacinação contra influenza

-

Com o andamento da 24ª campanha de vacinação contra a influenza (gripe) e a baixa procura das pessoas incluídas nos grupos prioritários, neste sábado, 23, a Secretaria de Saúde promove um mutirão para aplicar a vacina. Até o momento, apenas 10% do grupo prioritário de idosos com 60 anos ou mais e profissionais da saúde já realizaram sua imunização. A ação vai ocorrer em frente à Igreja Matriz, das 8h às 11h30min. No mesmo dia, também haverá aplicação de vacinas contra a Covid-19 em pessoas com 12 anos ou mais e vacinação pediátrica contra a Covid no Posto de Saúde Central.

“Antes de ampliar para novos grupos, a vacinação contra a gripe em idosos acima de 60 anos e trabalhadores da saúde deve ser reforçada”. A manifestação é do secretário de Saúde, Tiago Quintana, que reuniu a equipe de imunizações na segunda-feira, 18, e solicitou também contato com as maiores empresas para vacinação de trabalhadores de grupos prioritários. “Com a chegada do frio, o quanto antes imunizarmos idosos e os grupos prioritários, menos ocupação devemos ter na rede”, argumenta.

No dia 2 de maio inicia a segunda etapa da campanha, que vai imunizar crianças de 6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, puérperas (pós-parto até 45 dias), trabalhadores da educação, pessoas com comorbidades, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivos, integrantes das forças de segurança e Forças Armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade. A intenção é que a campanha siga até o dia 3 de junho e, caso não haja prorrogação, a partir desta data, o imunizante estará disponível para toda a população.

  • 10,4% é o índice atual de vacinados contra a influenza em Venâncio Aires. O ideal é ter no mínimo 90% dos grupos prioritários imunizados.
  • No dia 30 de abril ocorrerá o Dia D de imunização contra a influenza, quando todas as unidades de saúde que oferecem o imunizante estarão abertas, das 8h às 16h. Neste dia, também vai iniciar a vacinação de crianças de 6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias.

Conscientização

Segundo o coordenador das unidades de saúde de Venâncio Aires, Alan Flores da Rosa, a intenção é conscientizar para aumentar o índice da vacinação agora, para evitar novamente superlotações na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e até mesmo no Hospital São Sebastião Mártir (HSSM). “Ainda não estamos na fase aguda do inverno, então se as pessoas não se vacinarem, teremos sérios problemas lá na frente”, adverte.

Em anos anteriores, segundo Rosa, a vacinação sempre acontecia mais tarde, mas foi observado que internações e até óbitos em decorrência da influenza ainda aconteciam. Por isso, agora ocorre de forma adiantada. “Os idosos deveriam se preocupar mais com a situação”, comenta.

“Temos tantas pessoas ligando ansiosas pela sua vez para receber a vacina contra a gripe, enquanto quem está sendo priorizado não está vindo. Vamos valorizar isso e comparecer para não sofrer as consequências mais tarde.”
ALAN FLORES DA ROSA
Coordenador das Unidades Básicas de Saúde de Venâncio Aires

Prevenção para os próximos meses

O casal Vera Sirlei da Luz Schrüeder, 63 anos, e Oscar Schrüeder Sobrinho, 69 anos, compareceu ao Posto de Saúde Central – que agora também aplica vacinas contra a gripe – na manhã de ontem, para se proteger antes da chegada do inverno. Os aposentados fazem a vacina todos os anos e, inclusive, antes de serem do grupo prioritário, pagavam para receber o imunizante em clínicas particulares da Capital do Chimarrão.

Vera comenta que antes de começar a se imunizar contra a influenza, todos os anos passava muito mal e chegava a ficar internada no hospital, com problemas respiratórios. Há mais de 10 anos, ficou 15 dias internada para se tratar de uma gripe que quase virou uma pneumonia. Necessitou, na época, de oxigênio para se recuperar. “Depois de começar a fazer a vacina nunca mais fiquei mal, nem remédios preciso mais tomar.”

O marido Oscar sempre acompanha Vera e também faz a vacina. Para ele, todos deveriam praticar este ato de prevenção. “Para nós, o melhor remédio é a vacina, é tudo de bom. Que cada vez mais pessoas possam e venham fazer”, reforça o aposentado. O casal, que reside no bairro Morsch, observa que, ao fazer a vacina, não há reação. “Nem dor no braço tenho. Mil vezes passar por essa picadinha do que sofrer no hospital mais tarde”, diz Vera.

Saiba mais

1 Para fazer qualquer vacina, é necessário levar carteira de vacinação e também ter em mãos um documento e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).

2 A enfermeira responsável pelo setor de imunizações da Prefeitura, Janete Fernandes de Souza, alerta que adultos não precisam mais fazer intervalos entre a vacina da Covid-19 e qualquer outra vacina. Já as crianças devem manter um intervalo de 15 dias.

Postos que vacinam contra influenza

• Estratégias de Saúde da Família (ESF) do Caic, Coronel Brito, Macedo, Mariante, Tabalar, Santa Tecla, e Gressler.

• Unidades de Saúde do bairro Gressler, Santa Tecla, Cruzeiro (antigo posto PAM) e Central.

• No interior, nas unidades de saúde de Centro Linha Brasil, Vila Deodoro, Vila Santa Emília, Linha Tangerinas e Vila Arlindo.

Atenção

• A Secretaria Estadual da Saúde (SES) publicou nesta semana uma nova orientação aos municípios de que não será mais obrigatório que as crianças de 5 a 11 anos permaneçam em observação por 20 minutos após a vacinação contra o coronavírus.

• A medida vinha sendo adotada desde o início da aplicação para essa faixa etária como forma preventiva caso ocorresse algum efeito adverso. Contudo, dados coletados até esse momento indicam que não há mais essa necessidade de espera.

• Em Venâncio Aires, a vacinação pediátrica está sendo feita no Posto de Saúde Central, nas segundas, das 17h às 19h, e nas quartas e sextas, das 8h às 11h e das 13h30min às 19h.

LEIA MAIS:

notícias saúde Folha do Mate

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes