Corte é formada pela rainha Karolen Neves Abreu, as princesas Karolain Vogt Xavier e Rauane Andriele Henn e e o rei momo Valdir Ferreira (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

Calçadas cheias, com diferentes ritmos e enredos apresentados pelas escolas, foram marca das duas noites de desfiles do Carnaval de Rua de Venâncio Aires. As cinco escolas de samba, tanto no sábado, 22, quanto na segunda-feira, 24, surpreenderam o público.
Dados divulgados pela Administração e pela Liga das Escolas de Samba de Venâncio Aires (Lisva) indicam que, nas duas noites dos desfiles do Carnaval de Rua, foram 20 mil as pessoas que acompanharam o evento. As agremiações conseguiram levar à passarela do samba um espetáculo de cores e irreverência.

Neste ano foi possível observar uma crescente também no público regional assistindo os festejos. Quem veio de Estrela especialmente para assistir aos desfiles foi o empresário Cristian Roschildt. “Fiquei impressionado com os desfiles. As escolas conseguiram ser criativas ao mostrarem diferentes questões em seus enredos e, ao mesmo tempo, o conjunto das atrações reveladas mostra a tradição que o Carnaval tem em Venâncio Aires”, destacou.

O prefeito Giovane Wickert, ao avaliar as duas noites, lamentou que no sábado, 22, o frio afastou alguns visitantes. Também se mostrou bastante otimista ao comentar sobre a crescente cooperação entre as escolas de samba. “Tivemos integrantes que desfilaram em três escolas. Isso mostra que as agremiações estão unidas em prol do Carnaval”, observou.

TRADIÇÃO

O secretário de Cultura e Esportes, Henrique Maciel da Silva, reforçou que a cidade tem uma tradição de realizar o Carnaval e que as escolas estão em evolução constante. Entusiasmado com o resultado mostrado pelas agremiações na Rua Grande, destacou a importância da captação de recursos via Lei de Incentivo à Cultura (LIC) para auxiliar as escolas. “Com a captação de recursos fazemos mais, mas sem afetar necessariamente o orçamento municipal”, destacou Silva. No Carnaval foram investidos mais de R$ 250 mil, a maioria obtida a partir da captação e de emenda parlamentar, com contrapartida do Município.

ATRASOS

Cada escola teve 45 minutos para descer a Rua Grande. Pequenos atrasos foram registrados nas duas noites, mas sempre por fatores adversos à vontade das escolas. Na primeira noite, carros de som paralelos atrapalharam a evolução das agremiações na concentração. Já na segunda noite, os blocos que se concentraram na esquina das ruas Osvaldo Aranha e Duque de Caxias dificultaram o acesso das escolas de samba à Rua Grande.

LEIA MAIS: 

Malandros do Ritmo divulga nota sobre episódio registrado na segunda noite de desfile do Carnaval de Rua

Presidente da Lisva coloca cargo à disposição

CONFIRA FOTOS DAS ESCOLAS

Unidos da Vila Freese 

Fiel Tribo Guarani 

Malandros do Ritmo 

Imperatriz Cultural 

Acadêmicos do Samba Négo 

Crédito das fotos: Alvaro Pegoraro e Carlos Dickow

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome