Cerca de 180 crianças ainda estão sem turno integral

-

A permanência das crianças em turno integral nas escolas garante mais tranquilidade na rotina dos pais. Em Venâncio Aires, 1.885 alunos já estão frequentando o modelo, no entanto, ainda são cerca de 180 que ainda aguardam o atendimento de turno oposto neste ano. São estudantes das Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) Professora Odila Rosa Scherer, Cidade Nova, José Duarte de Macedo e na Otto Gustavo Daniel Brands. Parte das turmas desses educandários já retornou com as atividades, assim como todas as da Emef São Judas Tadeu e das Escolas Municipais de Educação Infantil (Emeis).

Uma das famílias que sofre com o atraso no retorno do turno integral é a da estudante Lívia Mirandolli da Silveira, 6 anos. Ela estuda no turno da tarde, no 1º ano da Escola Odila Rosa Scherer. A mãe, Cristina Huve, 44 anos, é quem fala da correria diária com a filha, que poderia estar frequentando o turno integral na escola. “Às vezes ela fica com a avó, com a minha tia ou até, muitas vezes, vem comigo para o meu trabalho, por não termos onde deixá-la de manhã. É sempre incerto e bem corrido para nós.”

Cristina explica que a Lívia nem chegou a frequentar o turno integral ainda. A promessa de conseguir a vaga surgiu quando a pequena foi estudar na pré-escola do educandário em 2021, e então, no ano seguinte, teria direito ao turno oposto, junto com as aulas da turma de 1º ano. “Chegamos a pagar uma escola particular para ela ficar, mas teve uma hora que o custo se tornou inviável”, explica.

Neste ano, segundo a mãe que trabalha como caixa e estoquista em uma loja de eletrodomésticos, as aulas começaram em fevereiro com a promessa do turno integral iniciar em duas semanas para todos, o que não aconteceu. Depois, foi argumentado que as escolas esperariam a passagem do Carnaval e a diminuição de casos de Covid-19, para retornar com as turmas, o que novamente não se tornou real. “Depois de várias conversas com a escola, liguei para a Secretaria de Educação, que me falou a mesma coisa. Me explicaram sobre a falta de professores e que a mesma condição também acontecia em outras escolas. Falaram que não tinha previsão, mas que gradativamente todas as turmas iriam voltar.”

A mãe reforça que se passaram os meses de abril e maio com a expectativa do retorno que novamente não aconteceu para todos. “A última informação que tive foi que seria no início do mês de junho e agora já estamos em julho e nada.” O que mais prejudica a filha, de acordo com Cristina, é não ter uma rotina fixa. “Ela está sempre indo de um lugar para o outro, não tem momentos adequados para fazer os trabalhos e temas de casa. Não sei até que ponto isso pode estar prejudicando a atenção dela com o aprendizado.”

Mobilização

Cristina e outras mães estão mobilizadas em uma iniciativa para pedir soluções às autoridades. Um grupo de pelo menos 14 integrantes foi criado no WhatsApp com o objetivo de participarem de uma sessão na Câmara de Vereadores e pedir providências. “Ainda estamos nos organizando, vendo um dia para irmos e protocolando ofício para usar a tribuna. Queremos ser vistos, escutados e que uma solução concreta seja feita. Logo as férias escolares de inverno chegam e ficamos um semestre inteiro sem o turno integral”, observa.

“O momento financeiro está muito difícil, temos que nos sacrificar e trabalhar mais para conseguir muitas vezes pagar um lugar ou alguém para deixar as crianças no turno oposto ao da escola. É uma situação que prejudica todos nós.”
CRISTINA HUVE
Caixa e estoquista

Falta de professores é o motivo, esclarece secretário de Educação

Segundo o secretário de Educação de Venâncio Aires, Émerson Eloi Henrique, o turno integral da rede já retornou em metade das turmas previstas, nas escolas Cidade Nova, Macedo, Odila e Otto Brands. Ele afirma que o motivo de parte das crianças ainda não serem atendidas é a falta de professores para trabalhar com estes alunos no turno oposto ao que frequentam as aulas. E observa que esse número representa pouco mais de 10% do total de alunos já atendidos com o turno integral. “Com a possibilidade orçamentária, está indo projeto para câmara solicitando autorização para contratação de 14 professores. Assim que for aprovado e as contratações forem efetivadas, as demais turmas também retornam”, explica Henrique. A previsão de retorno depende agora da aprovação da Câmara de Vereadores de Venâncio Aires e da contratação dos professores.

  • 1.885 é o número de alunos atendidos atualmente com o turno integral nas 13 Emeis e nas Emefs São Judas Tadeu, Odila Rosa Scherer, Cidade Nova, José Duarte de Macedo e Otto Brands.

Na escola Odila

De acordo com a diretora da Escola Odila Rosa Scherer, Márcia Hinterholtz Hickmann, metade dos alunos que precisam do turno integral já está frequentando o período, ou seja, 50 alunos. A prioridade foi dada para estudantes do 2º e 3º ano do Ensino Fundamental para que sejam atendidos com reforço escolar, a fim de amenizar a defasagem na aprendizagem, uma consequência da pandemia da Covid-19.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes