Ex-integrantes do CTG Erva Mate se reúnem neste sábado, na Fenachim

-

A Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim) além de muita música, gastronomia e cultura, também é conhecida pelos reencontros que proporciona. No sábado, 14, às 11h, o Lonão será palco do Encontro dos ex-integrantes do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Erva Mate.

A entidade que comemora 54 anos nesta sexta-feira,13, teve o início de suas atividades baseado no cunho artístico. Hoje, os participantes do antigo Grupo de Artes Folclóricas (GAF) Erva Mate moram em outras cidades e estados e viram na ‘Festa com Sabor do Rio Grande’ uma boa oportunidade para se reencontrarem. “Não sei por quanto tempo a vida vai nos dar a oportunidade de nos encontrar e a Fenachim seria um bom momento para fazer este encontro”, destacou o organizador do evento e ex-integrante da entidade, Luiz Henrique Müller.

Ele lidera a comissão de organização do evento, que ainda é composta por Cleiva Heck, Yolanda Agnes e Saul Zart. Este é o primeiro encontro do grupo que, em meados de 1972 a 1988, levava o folclore gaúcho e o nome da Capital do Chimarrão para outros municípios do estado.

O evento deste sábado é aberto ao público e haverá apresentações, sendo algumas realizadas por integrantes do grupo. Durante o encontro, será distribuído ao público um folheto com o histórico do GAF e fotos.

Grupo se apresentou na Assembleia Legislativa em 1984 (Crédito: Arquivo Pessoal)

54 anos de tradição em Venâncio Aires

No dia 11 de maio de 1968, alunos da escola Cenecista Professor José de Oliveira Castilhos, liderados pelo professor Alécio Alves de Moraes, ensaiaram três danças tradicionais para apresentar durante a festa de Dia das Mães.

Dois dias depois, em 13 de maio, este mesmo grupo, reunidos com o professor Alécio e a professora Adeli Belina, resolveram fundar um CTG. “Trempe da Saudade” foi o nome escolhido para a entidade e primeira patroa foi Adeli Belina.

Anos mais tarde, o nome do CTG passou a ser “Faxinal dos Tamancos” em homenagem a um dos primeiros nomes de Venâncio Aires. No entanto, este nome não se tornou popular, foi quando foi sugerido o nome Erva Mate, que perdura até hoje na entidade. O grupo de danças da época ficou conhecido como GAFEMA (Grupo de Arte Folclórica Erva Mate) e era reconhecidamente um dos melhores do interior do estado.

Em 1971, surgiu a ideia de realização do 1º Rodeio Crioulo, que foi realizado na Granja Krelling, em Ponte Queimada. Anos mais tarde, os rodeios passaram a ser em Mangueirão, junto ao Jóquei Clube e mais tarde no Parque Municipal do Chimarrão, onde está a sede da entidade.

Hoje, o CTG Erva Mate segue se destacando com suas atividades nos departamentos Artísticos, Cultural, Cavalgada e Campeiro. Atualmente o CTG Erva Mate é dirigido pela patroa Estela Ferreira e pela vice-patroa Juliana dos Santos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes