Veja dicas para manter a saúde em dia durante os dias frios

-

Nesta quinta-feira, 7, é comemorado o Dia Mundial da Saúde, por isso, a Folha do Mate lembra dos cuidados que não devem ser esquecidos na rotina nos dias mais frios e a importância da saúde preventiva, para diferentes faixas etárias. Para evitar contratempos e viver o outono e inverno com bem-estar, é necessário focar na prevenção com práticas e vitaminas que auxiliam para aumentar a imunidade.

O cardiologista Moacir Emílio Ferreira explica que as principais doenças de outono e inverno são de origem viral, como resfriados, Covid-19 e todos os tipos de gripes; e também de origem bacteriana, como bronquites, pneumonias, sinusites, faringites e amigdalites. Nesta época do ano também são frequentes os desconfortos musculares, contraturas e torcicolos. Para isso, segundo Ferreira, é preciso evitar as bruscas mudanças de temperaturas, como sair de um ambiente aquecido ou com temperatura amena e ir direto para a rua que pode ter uma temperatura muito mais baixa. “É importante usar roupas adequadas e evitar que o corpo se resfrie. Se as pessoas já têm problemas existentes de coluna e articulações, o frio pode piorar isso.”

Além disso, Ferreira confirma que, no frio, é preciso ter mais cuidado com doenças cardíacas e circulatórias, devido ao fenômeno da vasoconstrição, que compromete a circulação. Nessa situação, os vasos se contraem especialmente nas extremidades do corpo, como mãos, pés e pernas, e têm uma menor circulação na tentativa de reter o calor. “O sangue que antes estava ali, se recolhe para aquecer órgãos internos e há uma sobrecarga do coração, que precisa bater mais rápido e assim é aumentado o débito cardíaco.” Outro fator que deve ter atenção no frio é o controle da pressão arterial.

Vacinação e máscaras são aliadas na prevenção

As faixas etárias que mais sofrem com doenças respiratórias e infecciosas são crianças e idosos. O médico Moacir Emílio Ferreira destaca que isso é motivado pois as crianças ainda não têm o sistema imunológico completamente formado e os idosos já não estão mais com as defesas do corpo ‘a todo vapor’. O que se deve fazer para cuidar destes públicos é principalmente os vacinar contra a Influenza (gripe).

A vacinação contra o vírus da Influenza começou por volta do ano 2000. Ferreira lembra bem como era a situação de hospitais durante o inverno antes da vacinação. “Pessoas ficavam facilmente gripadas, idosos com doenças preexistentes acabavam tendo gripes fortes, ficavam vários dias no hospital e quando não se tinha vaga, morriam. Agora, a realidade é outra, muito melhor do que acontecia anos atrás.”

O cardiologista explica que a transmissão das doenças aumenta no inverno pois as pessoas ficam mais em ambientes totalmente fechados. “Os microrganismos têm mais facilidade em ‘pular’ de uma pessoa para outra através de uma tosse, espirro ou até aperto de mão”, cita. Inclusive, o médico comenta que um dos motivos da alta de atendimentos e casos de internações pela gripe nos últimos dias se deve ao relaxamento do uso de máscara. Nos últimos dois anos, as pessoas estavam acostumadas a se proteger devido à Covid-19 e a máscara também evitava outras doenças respiratórias. “A Covid nos ensinou de maneira ruim e inesperada como nós pegamos doenças respiratórias, através do contágio. Antes nunca usávamos máscara com a adesão que tivemos agora. Não podemos perder esse ensinamento, mesmo não sendo mais obrigatório o uso, vai muito do esforço de cada pessoa, de não querer transmitir a doença que está sentindo os sintomas.”

“Não deveríamos ainda precisar ressaltar a importância da vacinação contra a Influenza. As pessoas acham que a gripe terminou de existir por acaso, mas não foi. O número de casos, internações e mortes diminuiu por causa da vacinação que foi aumentando com o passar dos anos. Hoje, felizmente, a gripe está bem mais controlada.”

MOACIR EMÍLIO FERREIRA – Cardiologista

Vacinação contra a Influenza

Desde a segunda-feira, 4, ocorre a 24ª Campanha contra a Influenza. Nesta primeira etapa, estão sendo imunizados idosos a partir de 60 anos e também os profissionais de saúde.

As vacinas são aplicadas em todos os postos de saúde que têm sala de vacinação, com exceção do Posto de Saúde Central, devido à vacinação pediátrica contra Covid-19. É necessário levar carteira de vacinação, um documento e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).

A segunda fase da campanha inicia no dia 2 de maio e será destinada à imunização dos demais grupos, como crianças de 6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, puérperas (pós-parto até 45 dias), trabalhadores da educação, pessoas com comorbidades, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivos, integrantes das Forças de Segurança e Forças Armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade. Após, a vacina deve ser liberada para o público em geral.

Em 2021 o índice de cobertura da vacinação contra gripe foi baixo em Venâncio Aires, inclusive doses extras foram disponibilizadas no fim do ano, devido a surtos de gripe que foram confirmados no estado. A baixa procura em 2021 é motivo que aumenta a preocupação neste ano, para a alta dos atendimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes