Bohn confirma que buscará a reeleição no pleito deste ano (Foto: Renê Ruppenthal/AI Prefeitura)
Bohn confirma que buscará a reeleição no pleito deste ano (Foto: Renê Ruppenthal/AI Prefeitura)

Pelo cenário político atual, Mato Leitão pode ter um único candidato a prefeito nas eleições deste ano. Mas a situação está longe de ser a definitiva.

Até agora, apenas o atual gestor, Carlos Bohn (PSDB), confirma que é pré-candidato. A tendência é de que a situação repita a dobradinha Carlos Bohn/ Arly Stöhr, mais conhecido por Flecha, para prefeito e vice, respectivamente. “Estamos nos organizando. Eu sou pré-candidato à reeleição, embora o cenário local ainda esteja muito calmo, nosso grupo está atento às movimentações”, disse Bohn, em entrevista ao programa jornalístico Terra em Meia Hora, da Terra FM, nesta semana.

Mas quem quer mais espaço nas eleições municipais deste ano é o MDB, presidido pelo vereador e ex-secretário municipal Arcênio Maldaner. Ele argumenta que a sigla não abre mão de indicar nome para a majoritária. “Nas últimas eleições o MDB foi sempre o divisor de águas. Fomos o fiel da balança. Está na hora do partido ser valorizado e mais lembrado”, ressaltou Maldaner.

O presidente do MDB destaca ainda que o partido está aberto ao diálogo e quer conversar com todos as siglas. “Nada é descartado, queremos manter contato próximo com todos os partidos”, assegura Maldaner. Ele informa ainda que para o Legislativo a meta é manter, pelo menos, as duas vagas conquistadas nas últimas eleições.

Já a oposição, também estuda a possibilidade de lançar uma chapa para a majoritária, em novembro. No momento o maior partido de oposição, o Progressistas, ainda busca nomes internos. O presidente da sigla, o vereador Gerson Horn admite, no entanto, que a crise sanitária esmoreceu a motivação dos possíveis candidatos.

Entre os possíveis nomes que o Progressistas pode indicar para a sua majoritária estão o próprio presidente da sigla, Gerson Horn. O colega no Legislativo, Volnei Hochscheidt, também ganha força interna, bem como, a ex-prefeita Carmen Goerck.

“Ainda estamos analisando o cenário. A pandemia esfriou demais o debate eleitoral local”, lamenta Horn. Para a disputa do Legislativo, a situação já é diferente. O Progressistas promete ter uma nominata completa, com 14 candidatos.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome