Rafael e Valquíria interagiram com os convidados por meio de videoconferência durante a cerimônia religiosa (Fotos da Greice Alana/Divulgação)

O planejamento para o casamento começou em outubro do ano passado, quando o autônomo Rafael Denilson Hermes, 21 anos, e a cabeleireira Valquíria Cardoso Hermes, 18 anos, moradores do bairro Gressler, nem imaginavam que o mundo passaria pela pandemia do novo coronavírus. As datas escolhidas para tornar real o sonho do casal, que está junto desde agosto de 2018, eram 30 de abril, para o casamento no civil, e 2 de maio, para a celebração religiosa. Porém, com o aparecimento e o aumento dos casos da Covid-19, os planos tiveram que ser repensados.

“Esse vírus acabou com nosso sonho e com o planejamento de fazermos uma festa para a família e para os amigos. Por isso, pensamos em adiar tudo, tanto o civil quanto a cerimônia. Mas, como estava só começando, não sabíamos até quando ia durar essa pandemia. Ficamos bem balançados, até que decidimos casar em meio a ela”, conta Valquíria.

De acordo com ela, muitas pessoas aconselhavam os dois a morarem juntos, uma vez que a casa já estava pronta, e depois fazerem a festa e o casamento no civil. “Mas temos convicções religiosas que nos mostraram, dentro da Bíblia, que deveríamos casar perante à lei, primeiro”, explica a cabeleireira.

Entretanto, apesar da decisão de casar em meio à pandemia ter sido tomada, o casal, que é testemunha de Jeová, enfrentou mais um obstáculo: por causa do novo coronavírus, o cartório suspendeu os atendimentos. “Aqui começa uma longa história”, recorda Valquíria. Depois de diversas ligações para o local e um período de muitas incertezas e dificuldades, oito dias antes da data agendada para o casamento civil (dia 30 de abril), eles receberam a notícia de que o juiz havia aprovado a realização do casamento.

“Eu e o Rafa achávamos que tinha sido negado. Nunca vou esquecer a nossa reação. Nos abraçamos e começamos a pular. A partir disso, começamos a perceber que não queríamos deixar passar em branco esse momento tão especial para nós”, conta.

Por isso, decidiram fazer uma cerimônia apenas com a presença dos pais, um casal de tios da Valquíria, que já estavam hospedados na casa dela há bastante tempo, e das duas avós de Rafael, no dia 2 de maio, a data que havia sido escolhida para a cerimônia religiosa. Para isso, a noiva salienta que foram tomados todos os cuidados de saúde necessários.


“Não ficamos nos lamentando por não poder realizar como havia sido planejando. Isso, com certeza, traria mais frustração. Pensamos em curtir aquele nosso momento, que foi perfeito.”

VALQUÍRIA CARDOSO HERMES – Noiva


O casal com os pais, duas avós do noivo e um casal de tios de Valquíria durante a celebração (Foto: Greice Alana/Divulgação)

CONEXÃO VIRTUAL

Os demais membros da família e amigos, que foram convidados para o casamento, participaram da celebração por meio de videoconferência. Até mesmo a bênção da cerimônia foi proferida a distância. “A festa não vamos conseguir fazer agora por conta do vírus, mas não deixamos que ele atrapalhasse nosso sonho de ficarmos juntos para sempre”, destaca a noiva.

Segundo Valquíria, a ideia inicial era fazer a celebração no sítio de um amigo, mas a comemoração acabou sendo realizada na casa dos pais do Rafael. “Tivemos apenas sete dias para organizar tudo. Foi bem corrido”, relembra.

Apesar de todos os percalços vividos por Valquíria e Rafael até a data do casamento, o dia dos dois como noivos foi bem tradicional. “O Rafa levou nossos pais e meu tio para a barbearia, se vestiram lá e tiraram fotos. Eu fui com minha mãe, minha sogra e minha tia no salão de beleza. Fizemos maquiagem, nos vestimos e também tiramos fotos”, explica a jovem. A decoração do espaço onde a celebração foi realizada, na casa dos pais do noivo, foi feita pela família. “Alugamos as coisas e montamos”, explica a noiva.

A cerimônia teve duração de aproximadamente 45 minutos e os noivos também dançaram a tradicional valsa. Depois disso, o casal fez um ensaio fotográfico e a gravação de vídeos, que eternizarão a data. Ainda na presença dos pais e do casal de tios de Valquíria, eles fizeram uma pequena comemoração com um bolo e doces. “Não queríamos mais ficar longe um do outro e foram meses planejando nosso casamento. Ver tudo isso indo fora por causa de um vírus estava nos deixando arrasados. Por isso, optamos por fazer a cerimônia dessa maneira. A emoção foi única”, ressalta Valquíria.

Noivos e os familiares próximos assistiram a bênção feita por videoconferência (Fotos da Greice Alana/Divulgação)

Relato da fotógrafa

A responsável pela cobertura fotográfica do casamento do Rafael e da Valquíria foi a fotógrafa Greice Alana Scheibler, de Mato Leitão. Ela conta que esse foi o primeiro evento no qual trabalhou desde o início da quarentena e também foi a primeira vez que ela saiu de casa para alguma atividade. “Foi bem estranha a sensação de ver o mundo um pouco mais calmo. Tive que reorganizar meus equipamentos que, antes da pandemia, não ficavam mais de cinco dias parados. O salão de beleza, que antes costumava estar lotado e vibrante, dessa vez estava silencioso”, observa. Greice também comenta que novas experiências, como essa, são sempre bem-vindas e desafiadoras. “A Valquíria viveu o momento para ela. Foi bonito perceber que, mesmo que poucas pessoas fossem ver ela, ela se arrumou da cabeça aos pés para si mesma. Usou um vestidão com três saias de armação. Achei muito bonito que ela fez tudo aquilo para ela mesma, mesmo sabendo que não teria 100, 150, 200 convidados olhando para ela”, destaca. A fotógrafa ainda complementa: “Enquanto houver história a ser contada, fotos nas capas dos jornais e imagens nos livros de história, haverá um fotógrafo trabalhando – nem que seja no fim do mundo.”

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome