No Brasil, a pizza é conhecida por ter massa fina e mais recheio (Foto: Pexels/Divulgação)

Hoje é o dia daquela companheira para todas as horas, para degustar entre amigos, em um jantar romântico ou dividir com a família. A pizza é a ‘queridinha’ entre crianças, jovens e adultos. O 10 de julho é comemorado como Dia da Pizza desde 1985, quando foi instituído pelo secretário de turismo de São Paulo, na época, Caio Luís de Carvalho, no concurso que elegeu as dez melhores receitas de muçarela e marguerita.

Mas a história da pizza no Brasil começa bem antes, no século XIX, quando imigrantes italianos chegaram ao país trazendo a receita. Segundo o coordenador do curso de Gastronomia da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) Everton Luiz Simon, o brasileiro gostou tanto da comida que começou a acrescentar ingredientes na receita.

“As invenções brasileiras são várias, começando pela quantidade exagerada de recheio (pelo olhar italiano, pois nós adoramos), a inclusão de proteínas, e os condimentos como maionese, ketchup, mostarda e molhos, que são algumas mudanças aqui do país que irritam os italianos”, cita.

De acordo com Simon, na Itália, os sabores mais procurados são os tradicionais napolitano e marguerita. Diferentes das pizzas daqui, as italianas costumam ser assadas em forno a lenha e têm cobertura base com extrato de tomate, queijo muçarela, às vezes, presunto, e um pouco de condimentos.

O professor ainda lembra que, na Itália, a pizza é considerada um alimento único, que se come com as mãos, sendo que o rodízio de pizza é um costume brasileiro. “Até hoje, eu só vi aqui no Brasil a tradição do rodízio”, afirma.

Há 13 anos no ramo de pizzaria, a proprietária da Bonna Pizza, Fátima Eloisa Haussen Reis, comenta que os sabores mais pedidos nos rodízios são calabresa, coração e quatro queijos, e na região Sul as pessoas procuram mais por pizzas com carne. “Quando alguém de São Paulo vem aqui já estranha os recheios com carne, pois essa é uma cultura do gaúcho”, ressalta Fátima.

A proprietária ainda comenta que a pizza de rodízio para a delivery muda um pouco. “Trabalhamos tanta com a produção da massa, rodízio, à la carte e delivery. Mas nosso foco é o rodízio, pois a pizza para telentrega precisa ser mais leve, tendo outros cuidados ao produzir”, ressalta Fátima.

Um pouco da história da pizza

• A história da pizza está ligada com a do pão e se relaciona com os povos etruscos, que habitaram a região da Etrúria, atual Toscana, na Itália. Fontes históricas revelam que cerca de sete mil anos antes de Cristo, esses povos já tinham o habito de consumir discos de pães achatados e assados em pedras quentes.

• Porém, foram os gregos que começaram a colocar coberturas nas massas antes de assar, iguaria que se chamava de ‘planctunos’, e levaram o alimento para o Sul da Península Itálica e na Sicília. Os romanos adotaram as técnicas de preparação dos etruscos e denominaram de ‘picea’.

• Na virada para o segundo milênio, a designação da pizza se encontrava implantada, mas o formato redondo ainda se assemelhava muito com o de um pão. Ao longo dos anos, ela foi criando vários formatos e sabores pelo mundo chegando à pizza napolitana.

CURIOSIDADES

– No Brasil, o bairro paulistano Brás é considerado o berço das primeira pizzarias.

– O primeiro pizzaiolo que se instalou no local se chamava Carmino Corvino e abriu, na época, a Cantina Santa Genoveva, que foi inaugurada em 1910.

– Antes de existir pizzaria, os ambulantes já vendiam o alimento pelas ruas de São Paulo.

– A pizza Margherita (marguerita, em português) foi criada pelo pizzaiolo Raffaele Esposito, no final do século XIX, inspirada nas cores da bandeira italiana (o verde, representado pelo manjericão; o branco, pelo queijo e o vermelho, pelo tomate).

– São Paulo é a segunda maior consumidora de pizza, perdendo apenas para Nova Iorque.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome