(Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

Uma tosse seca, seguida de falta de ar e fraqueza no corpo foram os sintomas que levaram Marcos Antônio Kupp a procurar socorro médico. Aos 57 anos, o tenente da reserva da Brigada Militar saiu na quarta-feira, 13, à tarde, do Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), onde permaneceu por longos 17 dias. Casado e pai de três filhos, foi recebido pelos familiares e com um sirenaço de uma viatura da BM.

Emocionado, o tenente Kupp, que por anos atuou no Grupamento Rodoviário de Santa Cruz do Sul, disse que foram dias difíceis. “Mas fui muito bem atendido no hospital”, destacou o morador do bairro Gressler.

Na quarta-feira à tarde, o filho Tiago e o genro, de mesmo nome, foram ao HSSM fazer a alta e levá-lo embora. Em casa, a esposa e a filha o aguardavam, assim como a nora, o neto e seus quatro cães. O menino chorou e até ensaiou uma corrida em direção ao avô, mas foi contido pela mãe. Ela e o marido, apesar de não apresentarem sintomas e de não terem mantido contatos com o tenente Kupp, farão o teste na sexta-feira, 15.

CURADOS

A família de Kupp suspeita que contraiu o vírus de um familiar próximo, que trabalha na empresa BRF, de Lajeado. Kupp foi internado no dia 17, foi para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e no dia seguinte foi para um leito, onde permaneceu isolado até a quarta-feira à tarde.

Sua esposa, a filha e o genro tiveram sintomas leves – os três perderam o paladar -, procuraram atendimento médico e ficaram em isolamento, já estando curados. Kupp, que é diabético e hipertenso, teve sintomas mais graves e por isso precisou ficar internado.

Na quarta, ao chegar em casa e ver a esposa, a filha e seus cachorros, encheu os olhos de lágrimas e aconselhou as pessoas a se cuidarem. “As pessoas devem ficar atentas, pois todo o cuidado é pouco”, resumiu o tenente, que diz não ter mais nenhum sintoma, somente um cansaço no corpo, decorrente dos 17 dias de internação hospitalar.


“Foram dias bem difíceis, mas hoje me sinto bem, apenas com cansaço no corpo, por conta dos 17 dias internado. Mas digo às pessoas para aficarem atentas, pois todo o cuidado é pouco.”

MARCOS ANTÔNIO KUPP – Tenente da reserva


 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome