Foto: Daniel Heck / Folha do Mate.

Na meia-noite deste sábado, será o momento de muitos brasileiros adiantarem uma hora os ponteiros dos relógios. Implantado desde 1985 no Brasil, o tão conhecido horário de verão segue até a meia-noite do dia 20 de fevereiro do próximo ano. Para quem gosta de um dia mais longo e deseja aproveitá-lo mais, seja para tomar um bom mate na rua, praticar algum esporte ou realizar outras atividades, o novo horário não deixa de ser uma alternativa.

O objetivo principal dessa mudança é a redução da demanda máxima do Sistema Interligado Nacional durante o horário de ponta, das 19h às 22h. Isso porque a energia elétrica passa a ser utilizada mais tarde, em função do adiantamento de uma hora. O efeito provocado é de não haver a coincidência de maior uso da energia pelo comércio e indústria, cujo montante se reduz após as 18 horas. Como de outubro a fevereiro os dias têm maior duração em algumas regiões, devido à posição da Terra em relação ao Sol, a luminosidade natural pode ser melhor aproveitada.

ECONOMIAE não é que a iniciativa dá certo mesmo? Estudos do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) alegam que, neste ano, espera-se uma redução de cerca de 4,5% de demanda durante o horário de ponta no Rio Grande do Sul, o que significa em torno de 220 megawatts.Mas não é apenas a natureza e a operação do sistema que ganham com tudo isso. O consumidor também é beneficiado com o não aumento da tarifa de luz. A economia vira pauta principal com a vinda do horário de verão, e estima-se que, neste ano, o resultado será a redução de custos de R$ 7 bilhões nos investimentos previstos para o setor elétrico brasileiro. Além disso, a expectativa é de que deixarão de ser consumidos 2.610 megawatts.

Carlos aproveita o horário para se dedicar a atividades físicas

Quem espera muito todos os anos pelo horário de verão é o auxiliar de escritório Carlos Alberto Frantz Junior, 23 anos. Apaixonado por andar de bicicleta, há três anos exerce a atividade como hobby. Ele pratica o exercício com frequência, mas é no horário de verão que ele aproveita para pedalar ainda mais e quase todos os dias. Depois do trabalho, das 18h às 20h, o tempo é reservado para andar de bicicleta e até mesmo praticar algum esporte. Conforme ele, essas atividades contribuem para o relaxamento da mente: “Gosto muito do horário de verão, porque posso aproveitar mais o dia, andar de bicicleta, conhecer outros lugares e isso tira o estresse.”

 

 BENEFíCIOS

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, nos últimos dez anos a medida tem possibilitado uma economia absoluta de 0,5%, o que equivale em média ao consumo mensal de uma cidade do porte de Brasília, com 2,8 milhões de habitantes, por exemplo. BENEFíCIOS

A reportagem ouviu a psicóloga Rosalaine Ferreira da Silva que relatou os principais benefícios do horário de verão para o corpo e para a mente. Confira a seguir:

MENTE: O horário de verão intensifica a socialização das pessoas, pois como elas retornam às residências quando ainda há sol, aproveitam para interagirem mais umas com as outras através de passeios ou ainda, ao tomar chimarrão em um espaço fora de casa. Quando a relação das pessoas entre si melhora, como consequência o bem-estar e a qualidade de vida melhoram também. Além disso, pelo fato de se aproveitar mais o ambiente fora de casa, muitas têm mais contato com a natureza, o que proporciona, em alguns casos, o aumento do equilíbrio mental e da calma.

CORPO: Para a profissional, as pessoas, devido à presença do sol, aproveitam muito mais para praticarem algum esporte, correr, brincar com os filhos ou realizar alguma outra atividade física, o que é de extrema importância para a saúde. Roselaine não nega que o contato com a natureza, por contribuir com o relaxamento da mente, também melhora o bem-estar do corpo.