Desde o dia 14 de janeiro, algumas mudanças relacionadas com o benefício de pensão por morte já estão em vigor. O Governo Federal havia anunciado alterações para essa categoria, auxílio-doença, seguro-desemprego, seguro-defeso e abono salarial. As medidas foram regulamentadas em medida provisória de 30 de dezembro de 2014.As datas com as devidas alterações foram divulgadas pela Agência local do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) após orientação da superintendência de Santa Maria. Conforme a gerente local Mônica Denise Simon, a partir do dia 14 deste mês, é preciso comprovar a união estável ou casamento de dois anos para receber a pensão. No caso do falecimento do cônjuge ou companheiro (a) por acidente ou doença relacionada com o trabalho não é preciso o período mínimo. Já a partir de primeiro de março, uma nova carência será exigida para o recebimento. Será preciso 24 meses de carteira assinada para receber. Para o auxílio-reclusão, vale a mesma medida. Também houve alterações no percentual. De acordo com Mônica, o valor deixa de ser 100% da renda mensal anterior ou da aposentadoria e passa a ser 50% do valor do salário ou do benefício. “Com isso ainda é acrescido 10% por dependente que pode ser no máximo de cinco.”