Em Venâncio Aires, dos 24.127 mil veículos, 1.847 estão inadimplentes (Foto: Alvaro Pegoraro)

A Receita Estadual realizou blitze simultâneas em diferentes cidades do estado para reduzir a inadimplência do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Iniciativas com a parceria de diferentes órgãos na região já foram realizadas em Lajeado. Em Venâncio Aires, informa a Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul, 7,66% dos veículos estão com o imposto em atraso.

Na Capital Nacional do Chimarrão, dos 24.127 mil veículos, 1.847 estão inadimplentes. O valor ainda não arrecadado chega a R$ 713.394,04. Na microrregião de Venâncio Aires, os municípios de Passo do Sobrado e Vale Verde lideram o ranking de proprietários inadimplentes. O menor índice fica para Mato Leitão.

ESTADO

No Rio Grande do Sul, já são cerca de 465 mil motoristas inscritos em dívida ativa da Fazenda Pública pela Receita Estadual. Segundo o chefe da Divisão de Fiscalização da Receita Estadual, Edison Moro Franchi, as ações buscam ampliar a percepção de risco para os condutores que trafegam sem a documentação necessária.

Ainda de acordo com ele, é comum uma inadimplência maior logo que o calendário de pagamento do IPVA é finalizado. O calendário de pagamento encerrou-se no fim do mês de abril e, até o momento, R$ 233,96 milhões deixaram de ser quitados no Rio Grande do Sul, o que representa 8,23% do total.

Na blitz é utilizado um banco de dados da Receita Estadual que permite identificar, pela placa do veículo, os automóveis irregulares, não havendo necessidade de fiscalizar a documentação de todos os condutores. Neste ano, a arrecadação prevista com o IPVA é R$ 2,8 bilhões. Metade deste valor é repassada de maneira automática para as prefeituras, conforme o município de emplacamento.

Foto Alvaro Pegoraro
ARQUIVO: TRANSITO
LEGENDA: Em Venâncio Aires, dos 24.127 mil veículos, 1.847 estão inadimplentes

(((BOX DA FOLHA)))

JUROS E MULTAS 

O contribuinte que não pagou o tributo em dia, além de ter perdido os descontos de Bom Motorista (de até 15%) e Bom Cidadão (de até 5%), terá multa de 0,334% ao dia sobre o valor do imposto não pago, até o limite de 20%.

Depois de 60 dias em atraso, o débito sofrerá acréscimo de mais 5% e será inscrito em dívida ativa, com o contribuinte correndo o risco de ter seu nome lançado no Serasa, sofrer protesto no cartório local e processo de cobrança judicial.

Além dessas consequências, o proprietário que for flagrado nas barreiras com o IPVA atrasado terá custos que poderão ir além de colocar em dia o imposto. Como o IPVA é um dos requisitos para renovar o Certificado de Registro e de Licenciamento de Veículo (CRLV), transitar sem esse documento em ordem significa infração gravíssima, com risco de multa e pontos no prontuário da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além dos custos do serviço de guincho e depósito do Detran.

Os prazos para renovação da CRLV, entretanto, são diferentes do IPVA e variam conforme a placa: 30 de abril para finais 1, 2 e 3; 31 de maio para finais 4, 5 e 6; 30 de junho para finais 7 e 8; e 31 de julho para finais 9 e 0.

COMO REGULARIZAR

O imposto vencido, relativamente ao exercício corrente e antes da inscrição como dívida ativa, deve ser pago em parcela única nos bancos credenciados (Banrisul, Santander, Bradesco, Sicredi, Banco do Brasil e Caixa – lotéricas).

No Banco do Brasil, o serviço ocorre por meio de débito em conta e é restrito a clientes via terminais de autoatendimento ou via internet. Nos caixas bancários, para efetuar o pagamento do IPVA, basta apresentar o CRLV ou informar a placa e o Renavam do veículo, sem emissão prévia de guia de arrecadação.

Após a inscrição como dívida ativa, somente o Banrisul e Sicredi estão autorizados a receber os valores para regularização. Nenhuma repartição da Receita Estadual recebe valores relativos aos tributos arrecadados.

1 comentário

  1. Vergonha essa cobrança forçada do ipva, totalmente inconstitucional, onde está nossos representantes do legislativo, enfim alguém já se perguntou se entre esses inadimplentes tem algum desempregado,

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome