O Presídio Masculino de Venâncio Aires abrigará 529 apenados no regime fechado e terá um albergue, para 150 pessoas, na mesma área. A informação foi confirmada ontem pelo secretário de Obras Públicas, Irrigação e Desenvolvimento do Estado, Luiz Carlos Busato. Acompanhado pelo vice-prefeito, Giovane Wickert, vereadores, membros da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e da construtura V-SIS, vistoriou as obras do presídio.

Pelo contrato, a V-SIS tem até o fim do mês de novembro para concluir as obras do presídio de regime fechado. No entanto, informou o engenheiro Carlos Deboni, a estimativa é da empresa concluir o trabalho com um mês de antecedência. “Deveremos finalizar as obras até o fim do mês de outubro”, revelou Deboni.Se isso for confirmado, a estimativa da Susepe é que em janeiro de 2014 a casa penal comece a ser ocupada. Busato observou que a preferência para a ocupação é para presos de Venâncio Aires e região. Mas não deascarta a possibilidade de apenados de outras regiões cumprirem pena na casa penal de Vila Estância Nova.

Conforme o que o engenheiro repassou ao secretário Busato, 85% das obras estão concluídas. As celas, que abrigarão até oito apenadas cada uma, estão concluídas. Agora, o trabalho se volta à construção dos alojamentos dos funcionários, parte administrativa e refeitório.

Busato está otimista com o andamento da obra. Arquiteto por profissão, explicou que o presídio de Venâncio Aires é o primeiro que segue este modelo com o sistema modulado. As celas são com chapas pré-moldadas e todo o acabamento interno é diferenciado.

São quatro beliches de concreto, uma pia com espelho – que não é de vidro -, um vaso sanitário e um chuveiro. Busato garante que a segurança é total e ressalta a vistoria é uma mera formalidade, já que o cronograma das obras está sendo mantido.

Sobre a segurança, o engenheiro Deboni destaca que a área onde os presos do regime fechado ficam reclusos é circundada por duas cercas, sendo um alambrado com três metros de altura e outro, com seis metros de altura. Entre um e outro, observa, existem quatro guaritas, com seis metros de altura, que serão ocupadas por brigadianos.

Além destes alambrados, a área ainda será cercada por arames farpados. São 6.500 metros quadrados de área construída, em uma área total de 20 mil m². O acesso entre a RSC-287 e o presídio, em uma extensão de aproximadamente um quilômetro, será pavimentado.

Localizado na estrada que liga a rodovia à Linha Rincão de Souza, o presídio está sendo construído na área pertencente ao Estado. O novo prédio se localiza distante cerca de 800 metros de onde funciona o anexo da Colônia Penal Agrícola de Venâncio Aires (Cpava). Ontem, a casa penal de regime semiaberto abrigava 42 apenados.

Durante a vistoria, Busato percorreu toda a obra. Ao chegar ao setor onde se localizam as celas, entrou em uma delas. Ele explicou o funcionamento do setor e destacou a segurança que o novo presídio vai representar para a comunidade.

 

ALBERGUE

Questão que provocou desconfortos entre a admisnitração municipal, membros da Susepe e do Governo do estado, o albergue voltou à pauta. Perguntado sobre a construção da casa de regimes aberto e semiaberto na mesma área, Busato foi enfático: “O que eu sei é que aqui será construído um presídio fechado, com 529 vagas, e um albergue, com 150 vagas.”

O engenheiro Deboni confirmou a informação e disse que o projeto está sendo concluído. Ele referiu que o prédio será construído na área fechada do présídio, mas em um local separado do fechado. No entanto, ressaltou que não sabe quando a obra sairá do papel.

Deboni mencionou que a V-SIS venceu a licitação para a construção do presídio fechado. Para a obra do albergue, observa, será aberto outro processo de licitação.

A se confirmar esta informação – que é a primeira repassada pela Secretaria de Segurança Pública quando foi anunciada a construção do presídio -, o anexo da Cpava será mantido até a construção do novo albergue. Depois há a possibilidade de cerca de 20 presos seguiram naquele prédio para fazer a manutenção da área. O restante dos 99 hectares da Cpava serão repassados à administração municipal.

Além de Wickert, participaram da vistoria os vereadores do PTB Celso Krämer e Arnildo Câmara e o suplente Renato Gollmann, o secretário adjunto do planejamento Celso Knies, a secretária adjunta da administração Mara Huyer e agentes da Susepe lotados ba Cpava.