A cadela Duquesa, que foi encontrada agonizando às margens de uma estrada interiorana de Santa Cruz do Sul, visivelmente desidratada e debilitada, ganhou uma segunda chance na vida. Ela havia sido abandonada e, para piorar ainda mais a sua situação – já trágica -, foi também atropelada. Quando localizada, estava há dias sem se alimentar. A fratura no quadril havia prejudicado totalmente a sua locomoção. Sem poder andar, o seu destino, naquela situação, seria o mais trágico possível.

Foto: Cristiano Wildner / Folha do MateDuquesa e Júlia são muito próximas e convivem a maior parte do tempo juntas
Duquesa e Júlia são muito próximas e convivem a maior parte do tempo juntas

Contudo, a sua jornada teve uma reviravolta, quando foi encontrada por integrantes de organização não governamental. Sem saber a origem dela, Duquesa foi deixada em uma clínica veterinária. Ela passou por uma cirurgia de emergência. Estava prenha, mas com o acidente, os filhos morreram ainda não útero. A cadela também foi castrada durante o procedimento. Os custos do tratamento naquela oportunidade foram quitados pela própria clínica. Durante o período de recuperação, ganhou um novo lar – foi doada pelo médico veterinário Luciano Frozza, para sua sobrinha Júlia, de quase três anos.

Duquesa passou a conviver com a nova família em novembro do ano passado. O animal, da raça Border Collie, ainda caminha com dificuldades, mas hoje é o xodó da pequena Júlia. Ela e a Duquesa passam a maior parte do tempo juntas, em uma convivência mais do que pacifica. “É impressionante a docilidade da Duquesa. Parece que ela ajuda a cuidar da Júlia. As duas ficam quase sempre juntas pelo pátio. A convivência delas nos surpreendeu”, contou a mãe, Adriane Gomes.

Adriane diz ainda que a cadela está visivelmente afetada pelo trauma que passou. Mesmo com o portão da residência aberto, diferente dos outros três cães que a família já tinha, Duquesa não chega nem perto de tentar sair. “Ainda estamos acompanhando a recuperação. O que nos impressiona é que mesmo sendo um animal tão dócil, foi simplesmente abandonado. A crueldade que esse animal passou é algo sem fundamento”, cita Adriane.

 

Foto: Cristiano Wildner / Folha do MateDuquesa passou a conviver com Júlia desde novembro
Duquesa passou a conviver com Júlia desde novembro