Os pátios de inúmeras residências nos bairros da cidade viram verdadeiros depósitos, onde é encontrado material como alumínio, metal, papelão, plástico, que é a matéria-prima de trabalho de muitas pessoas. Na maioria dos casos, esta se torna a única fonte de renda da família. O trabalho de coleta e venda ou troca de materiais recicláveis como uma forma de obter renda por catadores que atuam informalmente no processo de catação e seleção, são responsáveis por grande parte da coleta de lixo gerado na cidade.

Sem possuir um local adequado para realizar a separação dos resíduos, a Organização Não-Governamental (ONG) Planeta Vivo, através do projeto Minuano da Petrobras e da prefeitura deverá receber nos próximos dias o repasse de uma área para construir um galpão. A construção de um galpão num terreno no bairro Battisti servirá como lugar específico onde deverá ser feita esta atividade pelos catadores, sem precisar amarrotar suas casas e pátios com o material. O projeto, que está no papel há mais de dois anos, primeiramente irá beneficiar os trabalhadores da Battisti, podendo, mais adiante ser estendido para outros bairros da cidade.

A realidade encontrada em outros locais da cidade não é diferente. No bairro Macedo, na casa de Alex Cristiano Soares, 38 anos, grandes quantias de alumínio, metal e plástico são diariamente separados e semanalmente vendidos para uma empresa de São Leopoldo. Morando há sete anos em Venâncio, Alex enfatiza a importância do trabalho. “A venda é feita toda semana para não acumular muito no pátio. Eu gosto do que faço, já trabalhei na construção civil, mas há sete aos esta vem sendo a minha profissão. Sei que este trabalho de separar, reciclar é muito importante pois limpa o meio ambiente”, diz ele, que é natural de São Leopoldo.

A presidente da ONG Planeta Vivo, Izolde Musa, salienta que a área já está sendo negociada há um ano e que agora depende apenas do repasse, que poderá acontecer nos próximos dias quando será realizada uma reunião entre integrantes da ONG e da administração municipal.