Empresa ASA conduzirá atividades do Matrizeiro que, conforme cronograma, deverá alojar aves em junho (Foto: Divulgação)

A fachada já está concluída e um galo imponente simboliza que ali, na localidade de Monte Alegre, na ERS-244, em Vale Verde, está em fase de conclusão os primeiros aviários do Matrizeiro onde serão criadas as matrizes que irão fornecer os ovos férteis para o Incubatório localizado em Mato Leitão e que, posteriormente, dará origem aos pintainhos que serão transferidos aos nove Condomínios de Produção de Frango de Corte.

Todos estes empreendimentos fazem parte do Programa Frango de Corte da Cooperativa Dália Alimentos, que já conta com alguns condomínios concluídos, aguardando o alojamento das aves; e o Complexo Avícola, com um frigorífico e fábricas de rações e de farinhas em funcionamento com capacidade reduzida e em fase de testes desde o mês de fevereiro deste ano. A intercooperação entre a Dália e uma cooperativa da região permitiu que as aves chegassem até a indústria localizada em Palmas, no município de Arroio do Meio e, assim, sejam abatidos em torno de 15 mil frangos por dia.

Quanto ao Matrizeiro, que é de propriedade da Empresa ASA – América Sociedade Avícola, da qual fazem parte 37 sócios (todos empregados da Dália) mais a cota da cooperativa, divide-se em duas etapas: a primeira compreende a recria das matrizes, com um dia de vida até a idade de postura, época em que serão transferidas para os núcleos da produção. Já a segunda etapa, engloba a produção dos ovos férteis, transferidos ao Incubatório em Mato Leitão, local em que serão geradas as pintainhas de um dia para abastecerem os condomínios.

Conforme o supervisor do Setor Frango de Corte, Edenir Medeiros da Silva, a Recria 1 está concluída e na Recria 2 restam alguns ajustes, sendo que estes dois núcleos permanecerão isolados com cerca para os alojamentos. “O registro da granja junto ao Ministério da Agricultura (MAPA) foi deferido no dia 29 de abril e as primeiras matrizes têm previsão de serem alojadas na primeira quinzena de junho”, comenta.

O Matrizeiro está sendo edificado em uma área com 76 hectares e o investimento é de R$ 15 milhões, sendo dois núcleos de recria com dois aviários e quatro núcleos de produção com dois aviários. O ciclo de produção funcionará da seguinte forma: na recria as fêmeas e os machos permanecerão alojados pelo período de 16 semanas e depois transferidos para a produção de ovos onde ficarão confinados entre 60 a 65 semanas. Para conduzir os trabalhos, está à frente dos trabalhos no Matrizeiro e do Incubatório, Jean Pierre Wathier.

O presidente da Empresa ASA, Reinaldo Cornelli, ressalta a representatividade do matrizeiro, tanto pelo valor do investimento no empreendimento, quanto para toda a cadeia produtiva avícola da Cooperativa Dália Alimentos. “Certamente trata-se de um programa que inspira empolgação e entusiasmo em todos nós e, paralelamente, instiga um sentimento de seriedade pela busca da mais alta eficiência na atividade. Destaco o empreendedorismo dos envolvidos e a visão da Administração Municipal de Vale Verde em acreditar no negócio e conceder os incentivos pretendidos, além da confiança da Direção da Dália Alimentos em delegar aos seus empregados a edificação e o funcionamento de um projeto de ampla magnitude”.

Em relação ao Incubatório, localizado na comunidade de Palanque Pequeno, em Mato Leitão, a obra encontra-se em fase final de construção com previsão de alojar os primeiros lotes de ovos em até 120 dias.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome