Prefeito Hélio de Queiroz se reuniu com representantes do Executivo, Legislativo, Emater, STR, Defesa Civil, Conselho Municipal de Agricultura e Bombeiros Voluntários para decretar situação de emergência (Foto: Claudio Froemming/Folha do Mate)

Um encontro realizado na manhã da terça-feira, 7, no gabinete do prefeito Hélio de Queiroz serviu para assinatura do decreto de situação de emergência de Passo do Sobrado. O ato ocorreu logo após apresentação de relatório de perdas com a estiagem pela Emater/Ascar do município. O documento mostra que o valor total de prejuízos no meio rural já ultrapassou R$ 9 milhões.

Foram convidados a fazer parte do encontro representantes do Conselho Municipal de Agricultura, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Bombeiros Voluntários de Passo do Sobrado, Conselho Municipal de Defesa Civil (Comdec), Câmara de Vereadores, Secretaria de Agricultura, Obras, Planejamento, Finanças e Administração.


“Pedimos a compreensão de todos, pois não vamos mais realizar serviços tradicionais, pois temos que auxiliar com serviços de acesso à água aos produtores rurais mais afetados.”

CRISTIANO KIST – Secretário Municipal de Obras e Agricultura


DECRETO

Técnico agropecuário Maikel Moraes e o engenheiro agrônomo Wagner Soares da Emater/Ascar apresentaram o relatório com as perdas ocasionadas pela estiagem (Foto: Claudio Froemming/Folha do Mate)

No decreto consta que a estiagem, que assola o município desde o dia 15 de novembro de 2019, tornou-se insustentável no dia 30 de dezembro, a qual necessitou imediata intervenção do poder público, pois afetou toda a extensão de sua área rural, em especial as lavouras de diversas culturas, interrompendo o abastecimento de água potável e não potável em várias propriedades do interior, às quais são abastecidas por nascentes e/ou poços, afetando a agricultura e pecuária.

O decreto considera que a estiagem provocou falta de água, tanto para o consumo humano quanto para o uso nas plantações e trato de animais, em toda a extensão de área rural, que se prolonga sem definição de recuperação. Os prejuízos irreversíveis já instalados abrangem mais de 1.200 famílias. Como consequência da estiagem derivaram prejuízos nas plantações das culturas de tabaco, milho, soja, olericultura, bovino de corte e bovino leiteiro.

“Tendo em vista a estiagem que estamos passando, assim como, os prejuízos causados ao município, nada mais justo do que reconhecer a difícil situação pela qual todos estão passando, principalmente os produtores rurais”, destacou o prefeito.

O secretário de Agricultura Cristiano Kist disse que a partir de agora sua pasta irá se focar em auxiliar os produtores no que se refere à minimizar as perdas. “Pedimos a compreensão de todos, pois não vamos mais realizar serviços como destoqueamento e acesso às propriedades, pois temos que auxiliar com serviços de acesso à água. Vamos comprar ou locar um caminhão tanque para socorrer os casos mais urgentes”, destacou kist.

PERDAS AVALIADAS PELA EMATER 

  • Tabaco -20%
  • Bovinos de leite – 35%
  • Bovinos de corte – 19%
  • Milho – 47%
  • Olerícolas -50%
  • Soja – 20%

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome