Foram 31 trabalhos apresentados, sendo sete em formato de vídeo, com 113 alunos participando de maneira direta (Foto> Claudio Froemming/Folha do Mate)

Os alunos das turmas do 9º ano do Ensino Fundamental ao 3º do Ensino Médio, participaram na manhã da sexta-feira, 17, no ginásio Olivia Kappel, da I Mostra Multidisciplinar da Escola Curupaiti. No total, foram 31 trabalhos apresentados, sendo sete em formato de vídeo, com 113 alunos participando de maneira direta.

Segundo a organização, mais de 200 pessoas compareceram para prestigiar os trabalhos.
O evento teve como base a cooperação e a relação multidisciplinar entre os discentes. Segundo o professor e orientador João Gabriel Niemayer, idealizador e um dos organizadores do evento, o intuito foi de relacionar os conhecimentos aprendidos em sala de aula com o dia a dia dos alunos. “Desta forma, buscamos fomentar o ensino, a pesquisa e o gosto pela ciência. Os experimentos são dentro da realidade dos alunos, com custo quase zero”, enfatizou.

Os trabalhos foram realizados em sala de aula a partir de ideias dos próprios alunos. A produção envolveu material alternativo e as experiências foram realizadas nas aulas de biologia, ciências, física e química, além do auxilio de muitas outras, como português, artes e história. Os professores Angélica Weigel e Matilde Biondo, também orientaram os trabalhos. Os colegas do 6º, 7º e 8º ano foram os responsáveis pela avaliação.

“Nossa escola tem por tradição trabalhar com aulas experimentais na busca de aproximar os conteúdos abordados em sala de aula ao cotidiano dos alunos. Nesse contexto, acreditando numa educação transformadora e na valorização da ciência, da pesquisa e da descoberta através da curiosidade e experimentação, tive a iniciativa de promover essa mostra”, afirmou o professor João Gabriel.

Ele acredita que a partir do momento em que todos se empenharam para realização da atividade, compartilhando boas práticas vivenciadas em sala de aula, o objetivo foi atingido com êxito, que era o de fomentar o ensino, a pesquisa, a cooperação, bem como valorizar a educação pública e despertar nos alunos o gosto pela ciência.

Uma das professoras da escola, Elizabeht Trarbach, parabenizou a todos os envolvidos, enfatizando que mesmo depois de uma paralisação por divergências com o Governo do Estado, tiveram vontade e atitude para promover um evento com tamanha dimensão.
O prefeito de Vale Verde, Carlos Gustavo Schuch, esteve no local e conferiu os trabalhos da Mostra, assim como a secretária municipal de Educação Suzana Pacheco, alguns vereadores, diversos professores, alunos e munícipes.

TRABALHO APRESENTADO

Dentre os trabalhos apresentados esteve o dos alunos do 9º ano Bruno Dick Reis e Luis Otávio Thiesen, que demonstraram que é possível gerar energia por meio de três batatas e um limão. “Tanto na batata quanto no limão existe um ácido. Pegamos parafusos galvanizados que contém zinco ao redor e colocamos num lado da batata e cobre do outro. O zinco libera elétrons negativos que reagem com o ácido da batata, que quando chega no cobre, libera corrente elétrica. Gerou três volts de energia e durou um bom tempo”, destacaram.

Alunos do 9º ano, Luis Otávio Thiesen e Bruno Dick Reis demonstraram que é possível gerar energia através de batata e limão (Foto: Claudio Froemming/Folha do Mate)

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome