O Procurador-Geral do Município, Claus Epaminondas Carvalho e o assessor jurídico da coligação ‘Para Venâncio continuar mudando’, Mário Fernando Villanova Lopes, enviaram à imprensa, no sábado, 6, duas notas oficiais onde se manifestam sobre a distribuição de um panfleto produzido pela chapa adversária ‘Venâncio pode mais’. O panfleto denominado ‘Jornal Mate Amargo’, teria sido, conforme Claus, jogados às ruas. Neste material haveria conteúdo que trata de troca de sacos de cimento por votos. O panfleto foi denunciado à Justiça Eleitoral que determinou imediatamente a suspensão de sua distribuição, bem como a busca e apreensão de todos os exemplares.

Conforme a nota assinada por Carvalho, a distribuição deste material visa atingir objetivos eminentemente eleitoreiros, e ainda o Poder Executivo Municipal, a lisura de sua Administração e atuação de seus servidores públicos, já que acusa os candidatos Airton Artus e Giovane Wickert e ainda a ex-secretária Ana Claudia do Amaral Teixeira de compra de votos através de distribuição de sacos de cimento. A chapa do 15 já havia sido proibida de dar publicidade sobre o fato, sem antes ter a investigação e a comprovação dos fatos. “Em nome da verdade e pelo respeito às instituições, lamentamos profundamente a utilização, em reiterado desespero e ilicitude, de expedientes baixos, sem base legal, difamatórios e caluniosos, que promovem condenação pública precipitada, em desrespeito aos princípios mínimos de apuração da verdade e que agridem a honra de servidores públicos alheios ao pleito eleitoral, desafiando, inclusive, decisão judicial proferida contra insinuações como tais”, escreveu Carvalho.

Conforme o coordenador jurídico da coligação do 12, a oposição, insistentemente vem veiculando, por meio de panfletos e pela rede mundial de computadores, mentiras sobre o assunto que ficou conhecido como o “Caso do Cimento”, afirmando que a Justiça Eleitoral já condenou os participantes. Acrescenta que esse panfleto foi produzido pelo candidato a vereador Jerry Adriane Soares. Jerry, que é popularmente conhecido como Paraíba também, há algumas semanas, denunciou irregularidades do contrato entre a prefeitura e o aluguel do antigo prédio da Folha do Mate. “é de se ressaltar que a coligação ‘Para Venâncio continuar mudando’, por meio de seus candidatos Airton Artus e Giovane Wickert, jamais compactuou com atividades antiéticas e ilegais na busca do voto. A campanha eleitoral foi pautada pelo respeito à população, apresentando ideias e propostas para serem implantadas no município, respeitando o candidato adversário”, salienta Villanova Lopes.