Diácono Roque José Schroeder e o presidente da comunidade Pedro Feix convidam os fiéis para participar da procissão (Foto: Eduarda Wenzel/Folha do Mate)

A Comunidade Católica Santa Rita de Cássia, do bairro Gressler, uma das maiores de Venâncio Aires, completou 50 anos de atuação na sexta-feira, 22. Conhecida por fazer procissão, ação entre amigos e festa todos os anos, para comemorar a data da padroeira, desta vez, a comunidade irá celebrar de uma maneira diferente, com uma procissão motorizada neste domingo, 24. O início está marcado para as 10h, em frente ao salão comunitário, e o término deve ocorrer por volta das 11h30min.

Como nos outros anos, a procissão sempre ocorre um domingo depois do aniversário da comunidade, que também é a data da morte de Santa Rita de Cássia. Conforme o diácono Roque José Schroeder, apenas uma vez a procissão foi diferente, mas neste ano, será marcante. “Há uns anos, fizemos ela na sexta-feira de noite, foi um procissão iluminada, muita linda. Mas neste domingo, será motorizada para evitar aglomeração”, comenta, lembrando que neste ano, a pandemia de coronavírus exige cuidados de socialização.

Procissão terá início às 10h, em frente à Comunidade Santa Rita de Cássia, e deve terminar às 11h30min (Foto: Divulgação)

A procissão, que será celebrada pelo padre pároco Rodrigo Eduardo Hillesheim, com ajuda do diácono e de coroinha, contará com a imagem enfeitada da santa, em um carro de som, e com a equipe de fiscalização de trânsito.

Depois de percorrer alguns quilômetros pelo bairro, os fiéis irão receber benção nos carros. “Também pedimos para as pessoas que moram no roteiro da procissão para irem até a frente da casa com sua santa, com uma flor, uma capela, ou algo que lhes represente a fé. Assim elas também serão abençoadas”, solicita Schroeder.

História da Comunidade Santa Rita de Cássia

A comunidade foi fundada em 1970, por um grupo de fiéis. O terreno do local foi doada por uma mulher que havia feito uma promessa para Santa Rita de Cássia. Segundo o presidente da comunidade, Pedro Kremmer Feix, no início, as missas eram celebradas em um galpão. “Com o tempo, fizeram o ginásio, que por muitos anos foi também o lugar de celebrações católicas. Quando cheguei, em 1992, a capela estava levantada, mas sem reboco, sem nada”, relembra.

Depois disso, o prédio da igreja passou por reformas e melhorias contantes. “Todo dinheiro arrecadado na festa é investido na estrutura da comunidade”, explica o presidente. Também destaca que os fiéis sempre procuram deixar o visual do lugar em dia. “É um lugar abençoado, histórico para o bairro, temos que deixar tudo arrumado e bonito, por isso, cuidamos e mantemos um pátio florido. Além disso, é uma forma de valorizar o trabalho de quem fundou e sempre ajudou a melhorar.”

Saiba mais

  • São cerca de 450 membros na comunidade Santa Rita de Cássia.
  • Em média, 300 fiéis participam da procissão, todos os anos.
  • Duas vezes ao mês tem missa na capela e todos os domingos pela manhã tem celebração. No momento, entretanto, por conta do isolamento social, ambas as atividades estão suspensas.
  • A sede da comunidade católica também sedia atividades do grupo de terceira idade, Apostolado da Oração, Renovação Carismática Católica, grupos de damas e cavalheiros, grupo de mães, catequese, galinhadas e outros eventos.
  • Quando a comunidade foi fundada, em 1970, recebeu auxílio financeiro da Alemanha, algo que hoje em dia não acontece mais no país.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome