O Rio Grande do Sul poderá sentir os efeitos do fenômeno climático El Niño na segunda metade do inverno e na primavera deste ano. A previsão é da MetSul Meteorologia que tem acompanhado a anomalia de temperatura da superfície do mar que começou a ocorrer nos últimos dias no Oceano Pacífico Central Equatorial. Se a anomalia persistir nos próximos meses em 0,5ºC ou mais, o fenômeno deverá ‘amadurecer’ e passará a repercutir no Estado com episódios de chuvas intensas e com volumes bastante elevados.

Foto: Edemar Etges / Folha do MateMeteorologistas não descartam a possibilidade de ocorrerem enchentes como a de 2012
Meteorologistas não descartam a possibilidade de ocorrerem enchentes como a de 2012

Saiba o que é o El Niño

é uma alteração natural e cíclica nas porções central e leste do Oceano Pacífico. Fundamentalmente, ocorre um maior aquecimento de suas águas, de pelo menos 1 grau Celsius, tomando como referência a média térmica desse oceano, que é de 23°C.

O El Niño altera a distribuição de calor e umidade em diversas localidades. Os verões normalmente úmidos acabam tendo uma redução na quantidade de chuvas. No litoral da América do Sul e da América do Norte ocorre um aumento das temperaturas e, especialmente nos meses de verão, há também um aumento das chuvas e enchentes. Para as áreas pesqueiras o El Niño pode ser dramático, diminuindo consideravelmente a quantidade de peixes de acordo com o nível de aquecimento das águas.