Somente no sábado, durante a participação de bancas parceiras, foram vendidos mais de 800 livros. (Foto: Somente no sábado, durante a participação de bancas parceiras, foram vendidos mais de 800 livros. (Foto: Divulgação)
Somente no sábado, durante a participação de bancas parceiras, foram vendidos mais de 800 livros. (Foto: Somente no sábado, durante a participação de bancas parceiras, foram vendidos mais de 800 livros. (Foto: Divulgação)

Diferente das edições anteriores, em que a Feira do Livro de Venâncio Aires era totalmente presencial, desta vez, a festa da literatura teve que ser remodelada, em decorrência da pandemia do coronavírus. Apesar dos desafios para preparar um evento híbrido, durante quatro dias consecutivos, as expectativas foram superadas, tanto em relação à participação de pessoas quanto à comercialização de livros.

De acordo com a gerente do Sesc, Diane Lacerda Araújo, a Feira do Livro teve uma grande adesão do público, principalmente, durante a programação virtual, já que, a festa literária foi apresentada em formato híbrido, com 80% de atrações virtuais e 20% presenciais.

Durante os quatro dias de evento, de quinta a sábado, a página oficial do Facebook teve um alcance positivo, contabilizando 30 mil acessos. “Este alcance pode ficar ainda maior pois a programação ficará disponível na rede social por tempo indeterminado. Muitas pessoas ainda vão acessar aos shows, teatro, participação dos escrito45res, entre outras atrações”, observa.

As vendas de livros também movimentaram a economia do município, durante a programação da feira. Somente no sábado, das 9h às 18h, durante a exposição de obras em frente à Prefeitura, foram vendidos mais de 800 livros.

Conforme Diane, deste total não estão incluídas as obras vendidas em outras livrarias, pontos de vendas e mercado virtual. Os livros vendidos durante a sessão de autógrafos e bate-papo com escritores, na livraria Castelo, também não estão contabilizados neste montante. “A Feira do Livro movimenta o comércio local, regional e virtual. Cada um busca a melhor forma de aquisição dos livros”, afirma.

Adesão

Segundo Diane Lacerda Araújo, apesar dos desafios em proporcionar um evento híbrido, diferente das edições anteriores, a Feira do Livro cumpriu o papel de incentivo à leitura e diversidade cultural. “Agimos com coragem e planejamento para que a festa literária não descontinuasse e o nosso maior presente foi a adesão das pessoas. O evento é necessário e importante para toda a comunidade”, avalia a gerente do Sesc.

Para Diane, como a participação das pessoas no formato on-line foi positiva, a programação virtual será mantida para o próximo ano. “Desta forma, conseguimos atingir a todos, até mesmo aqueles que talvez não teriam a possibilidade de participar do evento presencial”, afirma.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome