Corte é formada pela rainha Karolen Neves Abreu, as princesas Karolain Vogt Xavier e Rauane Andriele Henn e e o rei momo Valdir Ferreira (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

A diretoria da Associação Carnavalesca Escola de Samba Malandros do Ritmo divulgou, na tarde dessa terça-feira, 25, em sua página no Facebook, uma nota de esclarecimento sobre episódio registrado na segunda noite de desfile do Carnaval de Rua de Venâncio Aires, realizada na segunda-feira, 24. A situação está relacionada ao fato de a corte municipal do Carnaval ter sido impedida de desfilar com a agremiação.

Ainda na noite da segunda-feira, a corte se pronunciou em nome da Prefeitura e da Liga das Escolas de Samba de Venâncio Aires (Lisva). O pronunciamento foi feito pela coordenadora de Comunicação Social e Marketing da Prefeitura, Adriene Antunes, logo após o término do desfile da escola. O rei momo Valdir Ferreira e a rainha Karolen Neves Abreu também falaram em nome do grupo e se desculparam com o público. A Malandros do Ritmo foi a única escola que proibiu que a corte abrisse a apresentação.

VEJA A NOTA DA PREFEITURA E LISVA 

Nota de repúdio:

Publicado por Corte Real Carnaval de Venâncio Aires em Terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

 

Em nota, a Malandros do Ritmo presta esclarecimentos sobre os fatos ocorridos no desfile e destaca que a presença de um segurança na concentração da escola é dada pela necessidade, que o grupo julga fundamental, do cuidado com os carros alegóricos, que ficam na rua, expostos ao acesso de todos. “A atuação do profissional impede o acesso do público às estruturas, protegendo de possíveis atos de vandalismo, avarias ou acidentes que possam ocorrer ali e, após ter cumprido seu trabalho, das 16h às 20h30min, guardando os nossos carros alegóricos, perguntou se conosco poderia descer no desfile. Por que não?”, diz a nota.

No texto, a diretoria da Malandros do Ritmo também esclarece que em relação à corte do Carnaval entende-se que ela é uma representante do evento, mas não faz parte da divulgação da escola. “A evolução compreende o quesito de representação do enredo -história contada através do samba-, tempo de execução e coreografias desenvolvidas no percurso. Participações extras podem comprometer o andamento da escola, conforme cronograma ensaiado previamente”, cita.

A diretoria da Malandros do Ritmo ainda observa que o esclarecimento serve para informar a postura da agremiação, corrigir qualquer desentendimento e usufruir do direito de resposta frente à exposição feita na Rua Grande, ainda no período do desfile da escola.

*Texto atualizado às 13h37min. 

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA: 

“A Associação Carnavalesca Escola de Samba Malandros do Ritmo vem por meio desta nota prestar esclarecimentos sobre os fatos ocorridos no desfile da noite da segunda feira, 24 de fevereiro.

Nosso papel como escola de samba é oferecer um espetáculo cultural, diverso e rico, que segue as diretrizes das tradicionais agremiações do país. Sendo assim, cuidamos e nos preocupamos com nosso trabalho de forma intensa, durante todo o ano, para, nas noites de carnaval, fazer uma entrega satisfatória.

A presença de um segurança em nossa concentração é dada pela necessidade, que julgamos fundamental, do cuidado aos nossos carros alegóricos, que ficam na rua, expostos ao acesso de todos. A atuação do profissional impede o acesso do público às estruturas, protegendo de possíveis atos de vandalismo, avarias ou acidentes que possam ocorrer ali e, após ter cumprido seu trabalho, das 16h às 20h30min, guardando os nossos carros alegóricos, perguntou se conosco poderia descer no desfile. Por que não?

Também esclarecemos o ocorrido em relação à corte do carnaval. Entende-se, que ela é uma representante do evento, mas não faz parte da evolução da escola. A Evolução compreende o quesito de representação do enredo -história contada através do samba-, tempo de execução e coreografias desenvolvidas no percurso. Participações extras podem comprometer o andamento da escola, conforme cronograma ensaiado previamente.

A organização da escola relata que, no ano de 2018, a apresentação da bateria foi comprometida pela interferência da corte entre os membros, que não puderam evoluir em cima de um carro alegórico, especialmente, preparado para isto. Desde então, assumiu a postura de não permitir a apresentação da corte DENTRO do desfile da escola (entre as alas), mas sim, abrindo ou fechando o mesmo. Isto, várias vezes foi falado em reuniões.

Na noite da segunda-feira, também fomos surpreendidos pelo impedimento do acesso da escola Malandros do Ritmo à área, restrita, de desfile que foi tomada pelo público geral. Tendo que, 20 minutos antes do desfile, contornar a adversidade, acionando a brigada militar, a segurança e os promotores do evento para auxiliar o posicionamento da escola.
Após este primeiro contratempo e, ao passar a informação do posicionamento no desfile à corte, ocorreu o desentendimento, que culminou no estremecimento de ânimos das partes. Reforçamos que, em nenhum momento, foi usada a força ou ameaça para tal.

Frisamos que não é postura da nossa Escola ofender ou denegrir a imagem dos integrantes da corte municipal.

O esclarecimento serve para informar nossa postura, corrigir qualquer desentendimento e usufruir do direito de resposta frente à exposição feita na Rua Grande, ainda no período do nosso desfile.

Ficamos à disposição para qualquer contato.
Atenciosamente, direção Malandros do Ritmo.”

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome