(Foto: Pixabay/Divulgação)

Está agendada para ocorrer no domingo, 27, e na segunda-feira, 28, uma manifestação pela volta do entretenimento no Rio Grande do Sul. Músicos e integrantes de bandas de Venâncio Aires estão mobilizados e devem participar da programação, que tem início no Parque da Harmonia, em Porto Alegre, e segue em marcha até o Palácio Piratini.

O integrante da União das Bandas de Baile do Rio Grande do Sul e membro da Associação de Músicos de Venâncio Aires, Ricardo Lenhardt, mobiliza os colegas de profissão a participarem do movimento, que pede pela volta do entretenimento no estado. “Tivemos que criar algo, porque o governo não estava fazendo nada pela classe”, ressalta.

Segundo Lenhardt, em diversos momentos representantes da categoria tentaram dialogar com o governador Eduardo Leite, em busca de linhas de crédito para auxiliar a classe que sofre com a paralisação dos eventos desde o início da pandemia, em março.

No início deste mês, um protocolo foi elaborado pelo grupo e apresentado ao Governo do Estado. Na última semana, o grupo obteve um retorno positivo após realizar ajustes no documento. No entanto, até terça-feira, 22, a categoria aguardava um novo posicionamento do governador, que publicou um decreto com normativas, mas que não atendem às reivindicações da classe artística.

Músicos e integrantes de bandas de Venâncio Aires estão mobilizados e devem participar da programação, que tem início no Parque da Harmonia, em Porto Alegre, e segue em marcha até o Palácio Piratini.
Ricardo Lenhardt é um dos músicos mobilizados (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)

Um novo encontro está marcado para a noite de hoje entre o governo e os músicos. De acordo com Lenhardt, a mobilização segue mantida. “A busca da retomada das atividades dessa classe é fundamental para aquele que tira o seu sustento dela. Vamos lutar pela volta do trabalho”, observa.

Protocolo

O protocolo elaborado pela Associação dos Músicos do Rio Grande do Sul, juntamente com outros representantes da classe, enfatiza que a retomada das atividades é fundamental, pois muitos profissionais já esgotaram sua capacidade de absorção do impacto financeiro causado pela pandemia de Covid-19.

Entre os principais pontos do documento, além dos itens básicos como uso de máscara e aferição de temperatura, está a capacidade dos locais conforme as bandeiras previstas no Distanciamento Controlado do Governo do Estado. Além disso, está estipulada a colocação de placas com avisos sobre os protocolos de segurança sanitária nos diversos ambientes dos espaços de eventos.

Lenhardt explica que o protocolo também estabelece medidas de distanciamento fora e dentro do salão. As mesas devem ficar dois metros de distância uma da outra, assim como as pessoas poderão dançar em um espaço de dois metros quadrados.

“Tudo está voltando e nós seguimos parados.”

RICARDO LENHARDT – Músico

Protocolos

  1. Para locais com capacidade de 200 a 400 pessoas, permissão para 50% da capacidade.
  2. Para locais com capacidade de 401 a 500 pessoas, permissão para 40% da capacidade.
  3. Para locais com capacidade acima de 501 pessoas, permissão para 30% da capacidade até o limite máximo de 500 pessoas.
  4. A venda de ingressos será feita de forma on-line para evitar aglomeração e uso de papel moeda, sendo informado no corpo do mesmo todo o protocolo de segurança a ser seguido dentro do estabelecimento.
  5. Distribuição de totens de álcool gel pelo espaço.
  6. O cliente poderá ficar sem máscara quando estiver sentado à mesa, mas é indispensável o uso para circulação no salão.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome