Confecção de tortas caseiras foi um dos aprendizados do curso. (Foto - Edemar Etges/Folha do Mate)

Complementar o trabalho já oferecido pelo Programa de Atendimento Integral à Família (PAIF) é o foco do Curso de Tortas e Docinhos Caseiros, que foi realizado segunda e terça-feira, na cozinha da ONG Parceiros da Espernça (Paresp). A qualificação foi uma promoção da Secretaria Municipal de Habitação e Desenvolvimento Social, com apoio do escritório municipal da Emater/RS-Ascar, do Sindicato Rural e Farinhas Viviana. A instrutora do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/RS), Graziela Napoli, ministrou a capacitação.

O curso, com duração de 16 horas, contou com a participação de 13 alunos dos meios rural e urbano, contribuindo para sua profissionalização, melhoria da qualidade de vida e integração na sociedade. Durante o curso, Graziela ensinou os participante a elaborar diversos tipos de tortas e bolos doces, cupcakes e docinhos caseiros, bem como repassou técnicas de higiene, segurança e saúde no trabalho, meio ambiente, processamento artesanal de bolos, massas, recheios, docinhos e armazenagem dos produtos.

Eles também participaram da confecção, desde unir os ingredientes para formação da massa até a decoração dos doces. O curso ainda proporcionou aos participantes habilidades no preparo e decoração de tortas, bolos e doces, bem como desenvolvimento da criatividade para a confecção de novos tipos de massas e recheios.

EQUIPE VOLANTE

Laís Raenck, Moana Marques dos Santos e Elisabete Raenck, de Linha Marmeleiro, e Aline Storch, de Linha Cachoeira Baixa, integrantes da equipe volante Família Unida de Linha Cachoeira, participaram do curso e dizem que, além das receitas de tortas e doces caseiros, aprenderam sobre o que se pode e o que não se pode fazer na cozinha e também a ter um melhor relacionamento com os outros, principalmente os familiares.

E, como as quatro são agricultoras familiares, com as lidas na lavoura elas dispõem de pouco tempo para participar de cursos de qualificaação como este. “Conseguimos dedicar dois dias para nós e participarmos do curso. Além disso, tivemos a oportunidade de conhecer a Paresp, onde fomos recebidos com muito carinho e dedicação por toda a equipe”, comenta Laís. Ela acrescenta que, com o aprendizado do curso, vai poder agregar renda produzindo as receitas que conheceu, sem contar que a partir de agora, vai aproveitar melhor os produtos disponíveis na propriedade, reduzindo o desperdício. Tanto Laís quanto as demais participantes estão ansiosas para o curso de panificação, programado para os dias 5, 6 e 7 de agosto, novamente na Paresp, e que também será ministrado por Graziela.

Apoio

• Ao falar do apoio da Emater/RS ao curso, a extensionista de Bem Estar Social Rural, Lissandra Rebeletto, diz que o curso se reveste de importância pela oportunidade dos participantes acessarem este tipo de aprendizagem, sendo ainda uma alternativa de renda a produção de tortas e doces. “Além disso, aumenta também a autoestima da mulher e dos demais participantes, pelo fato de participarem de capacitação e qualificação e de melhorarem a produção dos alimentos”, salienta.

“As famílias assistidas vão poder se qualificar e obter uma geração de renda extra, para que cheguem à autonomia financeira.”

DAIANE FÜHR

Assistente social

“Em casa, muitos alimentos são descartados por desconhecimento de um melhor aproveitamento.”

LAÍS RAENCK

Agricultora familiar

SAIBA MAIS

1 O público alvo, segundo a assistente social Daiane Führ, são beneficiários do Programa Bolsa Família e famílias acompanhadas pelo PAIF – que é um serviço da proteção social básica da política de assistência social – do Cras do bairro Battisti e, ainda, as acompanhadas pela equipe volante da Secretaria Municipal de Habitação e Desenvolvimento Social no interior.

2 Além do acompanhamento semanal, quinzenal ou mensal que é realizado com as famílias, a secretaria também oferta cursos mais técnicos e específicos como o de Tortas e Doces Caseiros.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome