Delegado Vinícius alerta para o golpe do empréstimo consignado

-

Um novo golpe está fazendo vítimas em Venâncio Aires. Mas ao invés dos estelionatários pegarem o dinheiro das pessoas, estão depositando valores nas contas bancárias dos alvos. O crime acontece depois, já que o dinheiro entra em forma de um empréstimo consignado e o dono da conta bancária acaba pagando o valor recebido em longas prestações, com juros altíssimos.

Normalmente, o golpe é aplicado em pensionistas ou aposentados que possuem uma margem financeira, necessária para fazer um empréstimo. De acordo com o delegado Vinícius Lourenço de Assunção, a vítima detecta o depósito de uma determinada quantia em sua conta (geralmente entre R$ 2 e R$ 4 mil). Surpreendida, busca informações sobre o depósito em seu banco e recebe a notícia de que os valores se referem a um empréstimo que jamais foi contratado.

No próximo passo do golpe, o banco/financeira passa a fazer a cobrança das parcelas do empréstimo. “Normalmente são muitas parcelas, com juros altos embutidos. A pessoa paga praticamente o dobro do valor que apareceu na sua conta”, explica o titular da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). Segundo ele, os valores das parcelas são descontados via empréstimo consignado.

Para o delegado Vinícius, o que se revela estranho neste golpe é que a vítima acaba recebendo dinheiro, mas em contrapartida, assume um financiamento que não foi contratado. “O crime praticado é o de falsidade ideológica, eis que alguém acaba se passando pela vítima para solicitar o empréstimo. As suspeitas, neste caso, recaem sobre pessoas que trabalham com o oferecimento de empréstimos e são comissionadas pelos contratos assinados”, observa.

Por conta disso, segue o delegado, a vítima acaba sofrendo diversos contratempos para tentar cancelar o empréstimo e devolver o valor à financeira. “Além do registro de ocorrência policial, as vítimas devem procurar o Procon de suas cidades, órgão que poderá auxiliar o consumidor lesado”, alerta.

O delegado salienta que também há a possibilidade de ingresso de ação para fins de devolução do valor e eventual pedido de indenização pelos danos sofridos.

“As vítimas normalmente são pensionistas ou aposentados, que possuem margem consignável para empréstimo.”

Vinícius L. de Assunção
Delegado de Polícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes