Leandro e Laiza são autônomos e trabalham na higienização de estofados. (Foto: Taiane Kussler/Folha do Mate)

A Prefeitura de Venâncio Aires lançou nesta semana a campanha ‘Ajude um Autônomo’. O objetivo da iniciativa é valorizar o trabalho realizado pelos profissionais que trabalham por conta própria e atuam no município, por meio de um grupo do Facebook. Através desta ferramenta, os autônomos têm um espaço para divulgar fotos e vídeos dos produtos e serviços que são realizados no município e região.

De acordo com a secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, 942 profissionais autônomos e Microempreendedores Individuais (MEI) estão cadastrados em Venâncio Aires.

O secretário Claudio Soares reforça a importância da participação de todos os cidadãos na campanha, como forma de auxiliar os profissionais em meio à pandemia do coronavírus e os reflexos econômicos.“Esperamos que com o engajamento de todos os cidadãos consigamos estimular a contratação de prestadores de serviços locais, apoiando os autônomos e profissionais liberais que aqui geram emprego, renda, pagam os impostos, dentre outras atividades econômicas tão importantes para nosso desenvolvimento”, destaca Soares.

Conforme a economista Cíntia Agostini, qualquer proposição que privilegie os serviços, os produtos e o turismo local é importante para a circulação de dinheiro no município e a redução dos impactos causados pela crise. “Se olharmos por uma perspectiva, ninguém viveu antes nada disso. É um momento em que todos vamos perder para poder ganhar juntos”, avalia.

Segundo ela, a classe dos autônomos desempenha um papel muito importante no fluxo de renda circular. “Os profissionais dessa categoria dão conta de uma dinâmica de território para atender a todos, em diferentes segmentos. Além disso, têm participação na geração de impostos, que, posteriormente, são aplicados em políticas públicas”, enfatiza.

Em contrapartida, a economista destaca que um dos desafios é fazer com que todos os profissionais autônomos atuem dentro da lei, o que ainda não acontece com a grande maioria. “Os autônomos que trabalham na legalidade podem prestar serviços não só para pessoas físicas quanto jurídicas. Além disso, aqueles que contribuem com a Previdência Social são amparados por benefícios que podem ser acionados quando houver uma necessidade maior”, reforça a economista.

Autônomos se reinventam com a crise

Mesmo que em pequenas proporções, o casal de autônomos Leandro e Laiza dos Reis já percebeu, no dia a dia, os reflexos da crise devido ao coronovavírus. Há três anos, eles trabalham com higienização de estofados, colchões e interiores de carros e, pela primeira vez, perceberam que a contração dos serviços teve uma baixa nas últimas semanas.

“Na quarentena reduziu bastante, porque as as pessoas estão com mais receio de gastar”, observa o proprietário da La.Le.Limp. Mesmo assim, ele acredita que os atendimentos vão permanecer, porque muitos clientes estão aproveitando o momento para higienizar os objetos para impedir a propagação do coronavírus.

Ele e a esposa estão buscando novas alternativas para se reinventar, investindo na divulgação dos serviços através das redes sociais. Inclusive, eles já fizeram postagens no grupo ‘Ajude um Autônomo’ e tiveram um retorno bastante positivo.

“Achamos a campanha bem interessante, principalmente nesta época em que os autônomos estão com dificuldade e dependem de renda. Para quem trabalha por conta, é sempre mais desafiador”, afirma Reis, com uma sensação de incerteza de como será o ritmo de trabalho nos próximos meses.

Saiba mais

Autônomos são profissionais vinculados à prestação de serviços, como eletricistas, jardineiros, cabeleireiras e pedreiros. No caso do Microempreendedor Individual (MEI), o empreendedor tem um CNPJ e pode atuar como empresa (pessoa jurídica), inclusive com até um funcionário.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome