Novo prédio, de 17,2 mil metros quadrados, servirá para fazer a armazenagem de tabaco processado (Foto: Divulgação)
Novo prédio, de 17,2 mil metros quadrados, servirá para fazer a armazenagem de tabaco processado (Foto: Divulgação)

Localizada à margem da RSC-287, próximo do trevo de acesso a Venâncio Aires, a Tabacos Marasca, uma das maiores indústrias do município, ampliará a estrutura fabril com a construção de um prédio de 17,2 mil metros quadrados. A obra, iniciada em janeiro deste ano, tem previsão de ser concluída em fevereiro de 2021. O investimento representa a ampliação de 62% na área construída e é estimado pela empresa tabacaleira em R$ 10 milhões.

Com o objetivo de centralizar todo o processo em uma única unidade, o novo prédio servirá para fazer a armazenagem de tabaco processado, que hoje é feita fora da sede, em uma unidade locada especificamente para essa finalidade, nas proximidades do Parque Municipal do Chimarrão.

Segundo a gerente administrativa da Marasca, Angela da Costa e o diretor administrativo-financeiro, Inácio Leismann, a empresa vem, ao longo dos anos, efetuando melhorias no parque industrial, seja na estrutura, modernização e segurança de máquinas, como também nas edificações que compõem a sede. Hoje, a Tabacos Marasca possui 27,5 mil metros quadrados de área construída em área própria de 22 hectares. “A finalidade deste investimento é a substituição da unidade de armazenamento locada para um armazém próprio, centralizando todas as atividades da empresa, junto à matriz”, explicam Angela e Inácio.

Com a conclusão do novo prédio, a empresa terá uma área construída de 44,7 mil metros quadrados, abrigando, além da área de armazenagem de tabaco processado, que está em construção, os pavilhões industriais de compra, armazenagem de tabaco cru e processamento de tabaco, armazenagem de insumos, além dos prédios de atividades de apoio e setores administrativos. Com todo o processo centralizado em uma única sede, a tabacaleira espera mais eficiência às atividades, economia nos processos e redução de custos. “E consequentemente uma maior competitividade no mercado”, enumeram. Até o momento, o cronograma da obra está em dia, conforme planejado inicialmente pela empresa.

Empresa projeta crescimento gradativo e sustentável

A viabilidade financeira e a atual estabilidade do mercado são, conforme a Tabacos Marasca, os principais motivos para a realização do investimento, que iniciou no começo do ano, antes da pandemia do novo coronavírus.

Embora a ampliação do parque fabril tenha o objetivo de centralizar as atividades de armazenagem e customizar as atividades envolvidas nesse processo, a Tabacos Marasca projeta um crescimento gradativo e sustentável ao longo dos próximos anos. Conforme a gerente administrativa Angela da Costa e o diretor administrativo-financeiro, Inácio Leismann, acredita-se que a centralização das atividades contribuirá para uma melhor apresentação perante aos clientes. “Possivelmente, aumentando a participação no mercado em função disso”, observam.

Terceira maior empresa de Venâncio Aires por Valor Adicionado Fiscal de 2018, conforme ranking publicado na revista Perfil Socioeconômico da Folha do Mate, no ano passado, a Marasca tem um quadro de 350 funcionários, atualmente. “Como se trata de uma atividade sazonal, dependendo das características da safra e quantidade de turnos de trabalho, esse número pode chegar a mais de 500 pessoas”, destaca Angela.

A ampliação da empresa não deve resultar, inicialmente, em novas contratações, no entanto, como é projetado um crescimento para os próximos anos, deve ocorrer um consequente aumento do quadro de colaboradores.

Foto: Divulgação/ Tabacos Marasca

De Cerro Grande a Venâncio Aires

A Tabacos Marasca foi fundada no município gaúcho de Cerro Grande do Sul, em 1996.
A empresa, que vinha numa crescente no mercado fumageiro, viu a mudança para Venâncio Aires como uma necessidade para expandir mais seus negócios, considerando que a região é o principal polo de produção e beneficiamento de tabaco no mundo.

Desta forma, em 2002 foi viabilizada a vinda para Venâncio Aires. Inicialmente, a Marasca atuou em prédio alugado e, em 2004, com a conclusão do primeiro pavilhão da sede própria, passou a funcionar no atual endereço. Em seguida vieram as ampliações, a instalação da usina de beneficiamento própria, em 2007 e, neste ano, a construção do prédio para armazenagem de tabaco processado.

Principais mercados da empresa

O mercado externo absorve toda a produção da Tabacos Marasca. O maior volume de exportação é para a Ásia, mas também há volumes representativos de negócios com clientes na América do Norte, União Europeia, Leste Europeu, África, Oriente Médio e América do Sul.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome