Ela conta que, no início, foi indispensável a ajuda que teve dos tios paternos e maternos, principalmente os 'Irmãos Delavi', na construção civil.
Há 8 anos, Ane driblou a falta de experiência na área e encarou o desafio de assumir a Serraria Delavi (Foto: Cassiane Rodrigues/Folha do Mate)

A trajetória profissional começou muito antes de chegar na maioridade. Ainda na adolescência, ela trabalhou como babá, depois em um restaurante, como secretária e no comércio de Venâncio Aires. Porém, com 20 anos, o destino e as circunstâncias a levaram a uma nova realidade. Hoje, Ane Delavi, aos 28 anos, comanda junto com o irmão, Eder, a Serraria Delavi.

A empresa era do seu pai, Ottmar Delavi, que faleceu em 2012. Na época, a família tinha duas opções: vender a empresa ou assumir o negócio comandado pelo patriarca até então. Ane e Eder têm mais uma irmã, que optou por não fazer parte do negócio. Os dois, mesmo sendo muito jovens e sem ter conhecimento dos trâmites, optaram por seguir com a empresa. “Eu não sabia nada de madeira, tive que aprender tudo do zero”, afirma Ane.

Ela conta que, no início, foi indispensável a ajuda que teve dos tios paternos e maternos, principalmente os ‘Irmãos Delavi’, que também têm negócios na área de construção. “Nos primeiros meses, meus tios vinham aqui quase todos os dias. Eu não tinha experiência nenhuma e meu irmão só tinha 15 anos. Eles nos ajudaram muito”, reconhece.

“Eu não iria conseguir sozinha, tive muito apoio e ajuda de familiares. Sem contar a sociedade com meu irmão que é fundamental.”

ANE DELAVI – Sócia-proprietária da Serraria Delavi

Passados os desafios do início da trajetória, Ane afirma que conseguiram evoluir. Ela cuida da parte administrativa e todas as atividades afins, como contato com clientes, trâmites burocráticos e também do setor de Recursos Humanos, enquanto o irmão acompanha o serviço no mato com o recolhimento de matéria-prima para a produção na serraria.

A empreendedora também atua na produção de peças de madeira beneficiada, utilizadas em forros e paredes, que precisam de um acabamento mais detalhado. Atualmente, a equipe de colaboradores é formada por 15 pessoas.

Desafios e conquistas

Entre as principais dificuldades que Ane enfrenta no dia a dia, o preconceito por ser mulher é a principal. “Eu chego até a perder negócio, parece que não confiam em mim por ser mulher”, relata. Em algumas situações de negociação, conta com o auxílio do marido, Gustavo Bartholdy, que além de organizar o processo produtivo, também auxilia nessas questões, quando necessário.

Ane relata que ela e o irmão também tiveram empecilhos para conseguir adquirir um caminhão em razão da pouca idade dos dois. “Tivemos muitas dificuldades no início, tinha funcionários mais velhos que tinham mais que nossa idade de experiência e não aceitavam nossas ideias”, lamenta.

Modernização

A serraria está em contínuo processo de modernização da estrutura e maquinário. Foi construído um prédio novo e todas as máquinas foram trocadas, pois eram antigas. A empreendedora conta que foram feitos muitos investimentos em melhoria de máquinas e equipamentos desde que ela e o irmão assumiram, visando o aumento da capacidade produtiva, bem como a segurança de seus colaboradores, e a intenção é expandir cada vez mais, sempre com planejamento e ‘pés no chão’.

Série empreendedores locais

Desde 25 de junho, a Folha do Mate divulga a série de matérias Empreendedores locais, que destaca histórias de venâncio-airenses que investiram em um negócio próprio, mudaram de área de atuação e se reinventaram enquanto profissionais. A intenção é mostrar cases de sucesso, com pessoas que viram na mudança uma oportunidade de conquistar a realização pessoal e profissional.

Tem sugestões de histórias para este espaço? Entre em contato pelo WhatsApp (51) 98943-4110.

LEIA MAIS:

Incentivo de familiares e amigos foi essencial para a decisão de investir em um novo negócio

Mais do que um negócio, incentivo ao protagonismo feminino

Com e por amor, a aposta em um novo negócio

Da mecânica à gastronomia: a história do empreendedor Benhur Barcellos Xavier

Empreendedor local: um estúdio de tatuagem no interior

 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome