O processo do arroz e feijão até chegar à mesa do consumidor

-

A tecnologia empregada no beneficiamento de grãos da Arrozeira Santos garantiu o crescimento da produção. A empresa familiar, localizada em Picada Nova, interior de Venâncio Aires, realiza todo o processo com máquinas de alta tecnologia, do recebimento do arroz a granel ao empacotamento.

Ao longo dos 34 anos de atuação, a arrozeira aumentou em mais de 12 vezes a produção e reduziu a mão de obra. Atualmente, a indústria conta com oito funcionários, no setor operacional e administrativo, e beneficia 2,7 mil quilos de arroz por hora e 300 mil quilos por mês, vendidos para os vales do Rio Pardo e Taquari.

A Arrozeira Santos também investe na sustentabilidade e economia da produção. A empresa conta com sistema fotovoltaico com 320 placas solares, gerando energia para os cerca de 80 equipamentos utilizados no processo.

ESCOLHIDO À MÃO

Fundada há 10 anos, a empresa familiar Feijão Roos, de Linha Travessa, optou pelo processo artesanal, investindo na qualidade dos grãos. Inicialmente, a empresa vendia cerca 10 mil quilos por mês, e agora beneficia cerca de 7 mil quilos.

A mudança no processo ocorreu assim que a empresa aderiu ao feijão uirapuru, um produto de baixa produção e variedade diferenciada, produzido na região da Serra Gaúcha. O processo de beneficiamento é realizado por três membros da família que fazem a seleção manual dos grãos e o empacotamento. A empresa comercializa o produto em Venâncio Aires e para região do Vale do Taquari.

Família Roos realiza a seleção manual dos grãos, na propriedade de Linha Travessa (Foto: Taiane Kussler/Folha do Mate)

 

Foto: Reprodução

Material originalmente publicado na Revista Perfil Socioeconômico de Venâncio Aires e microrregião 2019, produzido pela Folha do Mate.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes