Trabalhadores pedem a flexibilização dos protocolos para voltarem a atuar

-

Na tarde desta terça-feira, 6, ocorreu no centro de Venâncio Aires, uma passeata silenciosa organizada por proprietários de bares, restaurantes e lancherias do município. O ato demonstrou a manifestação do setor que tem os atendimentos restringidos devido os protocolos da Covid-19. Atualmente, esses estabelecimentos estão impedidos de atenderem após as 20h. Os representantes percorreram a rua Osvaldo Aranha até a Prefeitura Municipal. De acordo com a Prefeitura Municipal, são 68 estabelecimentos representados pelo grupo de comerciantes do setor, que somam no total 380 famílias de trabalhadores.

Um dos trabalhadores que participou dessa caminhada foi Marcelo Carvalho, proprietário de um bar do município. Ele afirma que o pedido que querem que seja atendido é a volta dos atendimentos seguindo todos os protocolos de cuidados contra a Covid-19. “Muitas famílias dependem dese ramo, queremos retornar às atividade o quanto antes. Esperamos que nossos superiores se sensibilizem”, ressalta.

Marcelo defende que o setor precisa voltar pois não são somente os proprietários que são prejudicados, mas todos os trabalhadores dos estabelecimentos. “Hoje, recorro aos bancos e empréstimos para manter as contas fixas. Tive também que diminuir pela metade a minha equipe”, completa.

Marcelo torce pela flexibilização para que volte a atender gradativamente.

Um dos organizadores da passeata e proprietário de uma hamburgueria no município, Alex Quintana, destaca que o objetivo da passeata não era causar nenhum transtorno e nem prejudicar ninguém. “Fizemos isso para todo verem que atras do balcão de bar tem famílias que trabalham e dependem dessa renda”, esclarece. Ao final do ato, Quintana afirma que o movimento foi pacífico, todos forma respeitados e agora esperam os reflexos positivos da ação.

Para Alex, a passeata atingiu o objetivo e agora aguarda o posicionamento do estado.

Somos os primeiros estabelecimentos a fechar e os últimos a abrir. Estamos com a saúde mental e financeira comprometida. Ninguém aguenta mais”
Alex Quintana – Proprietário de hamburgueria

Experiência

Durante a passeata, a caminhada parou em frente a uma lancheria na rua Osvaldo Aranha, para que a proprietária Maria Luiza Ruppenthal pudesse entrar e participar. Ela e o marido, Ilgo Ruppenthal, comemoraram nos últimos dias os 47 anos de funcionamento do estabelecimento. “Desanima muito passar por essas dificuldades depois de tantos anos.

Nossa solução é atrasar as contas, pois os funcionários são prioridade, todos todos têm as suas famílias”, declara. O pedido de Maria, é que pelo menos possam entregar os lanches na porta do estabelecimento para os consumidores. “Nem todos querem pagar delivery, e essa condição nos ajudaria muito”, completa.

Maria diz estar desanimada com a situação.

Flexibilizações

Também nesta terça-feira, fez parte da Ordem do Dia da Sessão Extraordinária Virtual da Assembleia Legislativa do Estado, para apreciação dos deputados, o projeto 65/2021, de origem do executivo, que prevê o auxílio emergencial estadual em apoio aos profissionais da atividade econômica e de proteção social com medidas excepcionais para enfrentamento das consequências econômicas e sociais da pandemia da Covid-19.

A expectativa é de que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, deverá fazer um anúncio com flexibilizações para as atividades econômicas nos próximos dias.

LEIA MAIS:

notícias economia Folha do Mate

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes