Em sala de aula, os estudantes desempenharam o papel de professor de diversas disciplinas (Foto: Taís Fortes/Folha do Mate)

Passava um pouco das 10h quando o sinal tocou anunciando o fim do recreio. Naquele momento, os professores foram em direção ao saguão da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Alfredo Scherer para reunir os alunos de cada turma e levá-los à sala de aula. Entretanto, o que já é tradicional na instituição de ensino, aconteceu de um jeito um tanto quanto diferente na manhã desta sexta-feira, 18. Além dos professores titulares de cada disciplina, estudantes do 9º ano da escola também conduziram os colegas.

Já na sala, os alunos que ocuparam a função de professores distribuíram livros, fizeram leitura e explicação do conteúdo, chamaram a atenção de quem estava conversando e ainda organizaram atividades para os alunos de cada turma fazerem com base nos ensinamentos passados. Todas essas ações fizeram parte do ‘Dia do Troca’.

De acordo com a professora de História e Geografia e uma das idealizadoras da iniciativa, Cristiane Wegner, a atividade é uma homenagem pela passagem do Dia do Professor, celebrado no último dia 15. “A proposta foi fazer com que eles percebessem qual é o papel e a função do professor no dia a dia”, relata. No entanto, a troca de lugar não se restringiu apenas a quem leciona. Alguns alunos também ocuparam cargos de diretora e vice-diretor e funções em outros setores, como refeitório, limpeza e secretaria. “Todas essas pessoas são importantes no processo de ensino e aprendizagem”, acrescenta.

Estudantes também auxiliaram em funções no refeitório da escola (Foto: Taís Fortes/Folha do Mate)

EXPERIÊNCIA

Estudantes do 9º ano, as jovens Gabriela Seibel, 15 anos, e Vitória Heck, 14 anos, participaram da iniciativa desenvolvida na escola e acreditam que essa foi uma oportunidade para entender o que ser professor representa. Para elas, além de terem desempenhado o papel de ensinar os colegas que frequentam outras turmas, foi uma maneira de rever e aprender novos conteúdos. Também foi um momento para compreender mais sobre o que significa o planejamento das aulas. Depois dessa experiência, as jovens relatam que buscarão ser alunas ainda melhores, pois acreditam que essa é uma profissão bonita, mas pouco valorizada quando se analisa tudo que os professores fazem.

Cristiane reforça que o ‘Dia do Troca’ buscou, justamente, fazer com que os estudantes refletissem sobre como é ser educador nos dias atuais. “É uma forma de eles entenderem o papel dos professores na sociedade, valorizarem mais essa profissão e se questionarem sobre o desejo de seguir nessa área”, comenta. Segundo a professora, o objetivo é que a atividade se torne um hábito na escola e seja promovida em outros anos.

Gabriela e Vitória acreditam que a iniciativa foi importante para reconhecer o trabalho realizado pelos professores (Foto: Taís Fortes/Folha do Mate)

“No mundo da aprendizagem não é só o professor que ensina. Nós também aprendemos muito com os alunos.”

CRISTIANE WEGNER – Professora


COMO FUNCIONOU

  • Antes de assumirem as funções na manhã desta sexta-feira, 18, os alunos do 9º ano participaram de uma conversa com o supervisor da Emef Alfredo Scherer, Samuel Hübner, para compreenderem como se elabora o planejamento de uma aula.
  • Depois disso, esses estudantes foram orientados a procurarem os professores da disciplina que eles atuariam para organizarem o conteúdo que seria ministrado na aula. Os alunos foram divididos em trios e cada grupo pôde escolher, por afinidade, a função que gostaria de desempenhar, bem como a disciplina que desejava ministrar.
  • Os professores e funcionários ficaram junto dos estudantes, prestando apoio e repassando todas as orientações necessárias para o bom andamento das atividades.
Alunos do 9º ano organizaram uma confraternização com professores e funcionários no horário do intervalo (Foto: Taís Fortes/Folha do Mate)

PALESTRA 

• Nesta semana, os alunos dos anos finais do turno da manhã da Emef Alfredo Scherer participaram de um bate-papo com o casal Gustavo Amaral e Rita Castro. Eles moram no Rio de Janeiro e, entre 2017 e 2018, realizaram um mochilão com duração de 1 ano e 10 meses por 67 países espalhados em quatro continentes: África, América, Ásia e Europa. Os dois também administram o canal no YouTube Ih, Mochilei!

• Segundo a professora Cristiane, a palestra foi didática e um importante momento para a troca de conhecimento. “Os alunos estavam muito concentrados e a Rita e o Gustavo destacaram durante a fala deles a importância de estudar, independente do que tu deseja seguir no futuro. Foi uma atividade muito proveitosa”, avalia.

Casal que realizou um mochilão por quatro continentes conversou com estudantes na quinta-feira, 17 (Foto: Divulgação)

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome