O auditório do Colégio Oliveira Castilhos sediou na noite desta quarta-feira, 10, a formatura de mais 359 venâncio-airenses que buscaram sua qualificação profissional durante o ano através de 26 cursos oferecidos pelo Plano Municipal de Capacitação Profissional e Emprego. Os cursos foram realizados ao longo do ano em parcerias com o IF-Sul, Senac, Senai e Sebrae e desenvolvido pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Em 2014, esta foi a segunda cerimônia de formatura pelo Pronatec na Capital do Chimarrão. Na primeira, ocorrida em junho deste ano, 150 estudantes receberam seus diplomas de qualificação profissional. Com isso, o município capacitou durante o ano 509 pessoas para atuar no mercado de trabalho em 35 áreas diferentes. O número sobe para 4.229 pessoas se forem considerados todos os seis anos de existência do Plano de Capacitação Profissional e Emprego do município.

[GALERIA_443]

O prefeito Airton Artus participou do ato de entrega dos certificados e ressaltou a importância do ato que qualifica centenas de trabalhadores aptos a ganhar um incremento no seu salário e até melhorar a qualidade de vida das suas famílias. O secretário de Desenvolvimento Econômico e Agricultura, Hélio Lawall, destacou que a meta de chegar a praticamente 5 mil pessoas com cursos de capacitação gratuitos no município está prestes a ser concretizado, garantindo assim um salto na qualificação da mão de obra local, o que faz de Venâncio Aires um município propício a atrair empresas investidoras.

O ato de formatura contou ainda com a participação dos secretários de Educação, émerson Henrique, de Habitação e Desenvolvimento Social, Claidir Trindade, vereadora e interlocutora do Pronatec, Ana Cláudia Teixeira, coordenador geral do Pronatec do IFSUL no Estado, Miguel Felberg, diretores e professores das escolas especializadas que ministraram as aulas, bem como coordenadores do Plano Municipal de Capacitação.

Conforme Ana Cláudia, para 2015 já estão cadastradas 56 qualificações a serem oferecidas via Pronatec nas mais diversas áreas. A grade de cursos está montada com base na demanda por mão de obra na indústria, comércio e nos pedidos de empresas que chegam ao FGTAS/Sine e apenas aguarda parecer do Governo Federal para ser oficializada.