Escola Narciso Mariante de Campos começou ano letivo de forma remota

-

A rede municipal de Venâncio Aires retornou às aulas ontem, mas a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Narciso Mariante de Campos, de Linha Tangerinas, não fez parte da lista de educandários que já receberam os alunos para início do ano letivo. A mãe de um dos alunos entrou em contato com a reportagem da Folha do Mate para pedir ajuda em nome também dos demais pais da escola. Ela relata que o atraso das obras adiou o retorno das aulas presenciais para a quarta-feira, 2 de março.

Luíza Stroschoen, 38 anos, é mãe do pequeno Mathias, de 5 anos, estudante da escola. Ela lamenta que a Prefeitura não tenha dado a devida atenção ao educandário para que as aulas pudessem voltar de forma presencial, como aconteceu em todas as outras escolas. “Estamos bem chateados, a obra iniciou em dezembro e, em todo este tempo, nem a parte interna foi finalizada.”

A mãe acrescenta que tem receio de as crianças voltarem com a parte externa ainda em obras. “Como eles vão aproveitar o pátio, se haverá máquinas e estruturas em obra ainda?”, questiona. Além disso, Luíza afirma que móveis e pisos da escola foram danificados com as obras. A comunicação dos pais com a direção da escola é maravilhosa, segundo Luíza. “Não temos do que reclamar do pessoal aqui da escola, porém, a falta de responsabilidade do poder público nos incomoda.”

A diretoria da escola, Julia Helena Mels, afirma que todas as famílias estão cientes do motivo pelo qual as aulas não retornaram e foram comunicadas previamente. “Estamos esperando concluir a reforma na parte interna da escola, a estrutura elétrica ainda não está pronta.” Julia comenta que a previsão era de que a reforma interna seria finalizada em tempo para o retorno, porém a construtora pediu mais alguns dias e prometeu que nesta semana as salas de aulas vão estar liberadas.

A nova previsão de retorno no formato presencial é para quarta-feira, 2. Até o momento, todas as turmas estão tendo alaus e conteúdos por meio da plataforma Google Classroom, como acontecia no período de isolamento da pandemia.

Julia afirma que ainda serão feitas reformas na parte externa, além do telhado, que foi finalizado. Porém, devem iniciar após a liberação da parte interna, para que pelo menos as aulas possam acontecer. O acordo na prorrogação da entrega com a construtora, segundo Julia foi feito com a Secretaria Municipal de Educação.

Pais relatam que a umidade estragou portas e móveis da escola, além de pisos e azulejos.

Prefeitura

• De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, as obras da reformas não estão atrasadas, pois o prazo final com a construtora é o dia 5 de junho. “O que aconteceu lá foi que a construtora está finalizando as reformas nas salas de aula, isso vai atrasar um pouco o retorno presencial, mas não significa que a obra toda está atrasada”, informou a assessoria, após contato com um dos engenheiros responsáveis. Além disso, segundo a Prefeitura, os pais e a direção da escola estão a par da situação.

  • R$ 546.447,01 é o valor total das reformas na escola.

LEIA MAIS:

notícias educação Folha do Mate
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes